Sua saúde

Queimação na garganta: o que pode deixar a garganta queimando e ardendo?

queimação na garganta

A queimação na garganta é um sintoma que incomoda bastante.

Geralmente, essa irritação leva a uma tosse seca constante e isso é, de fato, doloroso.

Contudo, normalmente, não é motivo de preocupação.




Mas a verdade é que existem pelo menos duas causas mais comuns para queimação na garganta.

Contudo, a causa mais comum é o refluxo gastroesofágico.

Causas de queimação na garganta

1. Refluxo gastroesofágico

Como já dito, a queimação na garganta é um dos sintomas de refluxo gastroesofágico.

O refluxo gastroesofágico acontece, então, quando o conteúdo estomacal retorna para o esôfago em direção a boca.

Como este conteúdo é bastante ácido, com o tempo, desenvolve-se inflamação com dor.

Muitas vezes, no entanto, um refluxo gastroesofágico em estágio moderado ou grave, há também inchaço da garganta e do esôfago, o que piora muito a deglutição.

Nesse caso, há uma forte queimação na garganta.

Segundo um estudo publicado na Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [1]  , este sintoma acomete grande parte das pessoas que sofrem de refluxo.

De forma geral, os sintomas do refluxo na garganta são, por exemplo:

2. Esofagite (inflamação do esôfago)



Essa doença pode ser causada por uma infecção viral, bacteriana ou fúngica.

Nesse caso, acomete, principalmente, pessoas que tem o sistema imunológico fraco.

Pode também ser causada por irritação sofrida por algum alimento ou medicamento.

Ao mesmo tempo, pode ser causada por refluxo.

Aliás, a esofagite, costuma ser, também um sintoma de refluxo.

Um estudo publicado na Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [2], estudou casos de esofagite causada por refluxo gastroesofágico.

Os autores disseram que a queimação na garganta é uma das queixas mais frequentes de pessoas que sofrem de esofagite, por qualquer causa.

Os sintomas, geralmente são:

  • Mau hálito
  • Azia
  • Tosse seca
  • Dor ou queimação no peito e na garganta



  • Regurgitação
  • Rouquidão
  • Dificuldade para engolir
queimação na garganta esofagite

Endoscopia mostrando um esôfago com esofagite. Essa doença pode ser causada por uma infecção viral, bacteriana ou fúngica.

3. Alergia

As pessoas alérgicas já sabem que as reações alérgicas podem causar queimação na garganta.

Sempre que uma pessoa alérgica entra em contato com um alérgeno, seu sistema imunológico desencadeia uma tempestade interna.

Na verdade, quando a queimação na garganta acontece por alergia, geralmente, foi causado por algo que foi ingerido ou respirado.

Isso, pode causar todos os tipos de sintomas que podem ser por exemplo:

  • Queimações no esôfago
  • Coceira
  • Olhos lacrimejantes
  • Tosse
  • Corrimento nasal ou nariz entupido

4. Mononucleose infecciosa

A mononucleose é transmitida pelo contato com o vírus Epstein-Barr, transmitido pela saliva e troca de secreções, principalmente através do beijo.




Este contato salivar resulta não somente em uma infecção crônica.

Porém, também no surgimento de tumores, principalmente, a partir da morte de células do sistema imunológico com o linfócito-T.

Como se trata de uma virose, acontece uma inflamação dos gânglios linfáticos, particularmente nas zonas do pescoço e axilas.

Assim, é comum sentir dor e queimação da garganta que podem vir acompanhado pelos seguintes sintomas:

  • Dor de garganta, talvez diagnosticada erroneamente como garganta inflamada, que não melhora após o tratamento com antibióticos;
  • Febre;
  • Linfonodos inchados no pescoço e nas axilas;
  • Amígdalas inchadas;
  • Dor de cabeça constante;
  • Erupção cutânea;
  • Baço inchado e macio.
  • E, por fim, suor noturno em excesso

5. Azia

A azia não é bem uma doença e sim, um sintoma que causa uma impressão de queimação na região do estômago, que pode alcançar a garganta.

Este sintomas vem, na maioria das vezes,  depois de comer muito ou de comer alimentos gordurosos e, portanto, de difícil digestão.

A azia é mais comum em mulheres grávidas ou pessoas acima do peso, pois nestas situações o estômago sofre pressão das estruturas ao redor.

Se você tem azia, você deve sentir, por exemplo:

  • Sensação constante de estômago cheio
  • Refluxo do conteúdo do estômago
  • Arroto constante e involuntário
  • Estômago inchado
  • Gosto ácido ou amargo na boca
  • Queimação na garganta

O que fazer em caso de queimação na garganta?

Em um momento que a garganta está queimando e incomodando muito, há algumas dicas caseiras para dar um alívio momentâneo.

Contudo é importante que se busque ajuda médica para uma avaliação das causas.

As dicas, portanto, são as seguintes:

  1. Faça um gargarejo com água morna e sal (1/2 colher de chá de sal  para um copo de água.
  2. Chupe uma pastilha de na garganta.
  3. Beba um chá quente, adoçado com mel ou um sorvete. Tanto o frio quanto o calor são bons para dor de garganta.
  4. Use um umidificador de ar com névoa fria para aumentar a umidade do ar e impedir que a garganta seque.
  5. Beba muito líquido extra, sobretudo, água.

Quando devo ir ao médico?

Na maioria das vezes, a queimação na garganta se cura em poucos dias.

Mas se a dor e queimação persistir por mais de uma semana – ou se ela for excepcionalmente severa – consulte um médico.

Ao mesmo tempo, considere marcar uma consulta se tiver algum desses sintomas juntamente com a queimação na garganta:

  • Febre acima de 38 graus
  • Sangue na saliva
  • Dificuldade para engolir ou abrir a boca
  • Dificuldade de respirar
  • Pus nas amídalas
  • Erupção cutânea
  • Caroço no pescoço
  • E, por fim, rouquidão durando mais de duas semanas

Conclusão

Em suma, a queimação na garganta, não costuma ser nada sério.

Pode acontecer até mesmo por você comer muito ou por ingerir alimentos ricos em gorduras.

Contudo, nem todas as vezes se trata de algo simples.

Algumas doenças como refluxo gastroesofágico e esofagite também causam queimação.

Felizmente, nenhuma das doenças relacionadas a esse sintoma são graves.

Mas esteja atento aos sintomas persistentes ou severos, eles indicam que algo está errado com você.

Busque sempre uma opinião médica.

Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [1] Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [2]

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo