Sua saúde

Transtorno de Ansiedade generalizada e mais 5 diferentes tipos de transtornos de ansiedade. Veja quais são e como diferencia-los

Transtorno de ansiedade generalizada e mais 5 outros tipos de ansiedade

O Transtorno de Ansiedade generalizada é aquele que a pessoa tem preocupação extrema com tudo. Mas, existem outros 5 tipos comuns. Os transtornos de ansiedade podem ser considerados como os principais males do mundo moderno. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 33% da população do planeta sofre de algum tipo de ansiedade e depressão, e os brasileiros estão entre os primeiros dessa lista. Assim, os tipos de transtornos são a terceira causa dos afastamentos profissionais no país. Isso, gera gastos de mais de R$ 200 milhões anuais em pagamentos de benefícios do INSS.

Especialistas definem os Transtorno de ansiedade como enfermidades mentais que na qual o paciente possui uma ansiedade acentuada, que desempenha papel fundamental nos processos comportamentais e psíquicos do indivíduo. Tais transtornos podem ter origem biológica – desequilíbrio de neurotransmissores importantes – ou psicossocial – situações cotidianas que oferecem “ameaça”.

Sabe-se contudo, que quase metade das pessoas diagnosticadas com depressão também são diagnosticadas com um transtorno de ansiedade. Assim, ansiedade e depressão andam juntas. Conhecer os tipos de transtornos ajuda a entender como controlar a ansiedade. Basicamente, há 5 principais tipos de transtorno de ansiedade que você pode conferir a seguir.

Transtorno de ansiedade generalizada

As pessoas com transtorno de ansiedade generalizada sentem ansiedade constante. Ao mesmo tempo,  se preocupam com atividades ou eventos, mesmo aqueles que são comuns ou rotineiros. A preocupação , a saber, é maior do que deveria ser dada a realidade da situação. Às vezes, as pessoas com essa condição simplesmente se preocupam, mas não conseguem dizer com o que estão preocupadas. Eles relatam sentimentos de que algo ruim pode acontecer ou podem dizer que simplesmente não conseguem se acalmar. Essa preocupação excessiva e irrealista, ao mesmo tempo, pode ser assustadora e pode interferir nos relacionamentos e atividades diárias. O transtorno de ansiedade generalizada, a saber, causa sintomas físicos no corpo, como dores de cabeça, dores de estômago ou problemas para dormir. Os sintomas, em geral, são:

Síndrome do Pânico

É um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou sinais de perigo iminente. O indivíduo sofre crises de medo agudo de modo recorrente e inesperado. O medo recorrente de ter novos ataques, dificulta a rotina do dia a dia, seja por medo de perder o controle, enlouquecer ou ter um ataque no coração. Os sintomas comuns associados a um ataque de pânico incluem:

Fobia Específica

Um indivíduo sofre de fobia específica quando tem um medo irracional de objetos específicos ou situações. Essas pessoas tendem a evitar ativamente o contato direto com os objetos ou situações. Aliás, elas não suportam sequer  falar sobre eles. A fobia específica, geralmente, leva a um ataque de pânico. Por isso, quando uma pessoa é acometida por um medo excessivo de algo, ela precisa tratar também o pânico. O medo pode ser de animais, como medo descabido de aranha, por exemplo. Ao mesmo tempo pode ser medo de situações, como de pequenos espaços confinados (claustrofobia).

Fobia social

Situações como ter encontros sociais, falar em público e começar em novo emprego, são características por pessoas como transtorno de ansiedade social. Apesar de ser normal sentir-se ansioso e inseguro em lugares e situações, para essas pessoas, é terrivelmente desconfortante.  Essas pessoas evitam interações sociais ao máximo e ficam apavoradas com a ideia de ir a uma festa, por exemplo. De tanto medo que sentem, se trancam em um mundo evitando qualquer de contato social, até mesmo com os familiares. Para essas pessoas, a interação social pode causar os seguintes sintomas físicos:

  • rubor facial
  • náusea
  • suor excessivo
  • tremedeira
  • dificuldade em falar
  • falta de ar
  • e, por fim, taquicardia

Sintomas psicológicos podem incluir:

  • preocupação intensa com situações sociais
  • preocupação por dias ou semanas antes de um evento
  • evitar situações sociais ou ficar no fundo ou no cantinho, se você precisa participar
  • preocupação em se envergonhar em uma situação social
  • preocupação que outras pessoas notarão que você está estressado ou nervoso
  • precisar beber álcool para enfrentar uma situação social



  • e, por fim, faltar a escola ou trabalho por causa dessa ansiedade

Transtorno Obsessivo-compulsivo (TOC)

Esse transtorno de ansiedade é caracterizado pela presença de obsessões e/ou compulsões. Obsessões, a saber, são pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que são vivenciados como intrusivos e indesejados. Compulsões são comportamentos repetitivos ou atos mentais em que um indivíduo se sente compelido a executar em resposta a uma obsessão ou de acordo com regras que devem ser aplicadas rigidamente.

O TOC é considerado uma doença mental grave em que há alterações do comportamento (rituais ou compulsões, repetições), dos pensamentos (preocupações excessivas, dúvidas, pensamentos de conteúdo impróprio, obsessões) e das emoções (medo, culpa, aflição).  Essas pessoas sofrem de muitos medos, como por exemplo, contrair doenças ou cometer algum erro no trabalho.

Transtorno de Estresse Pós-traumático

É um transtorno de ansiedade psicológico que ocorre em resposta a uma situação ou evento estressante (de curta ou longa duração), de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica. É um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais. Esse quadro ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros. Quando ele se recorda do fato, revive o episódio como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez. Essa recordação desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais. De acordo com o National Institute of Mental Health [1] , os sintomas, em geral são:

  • flashbacks, em que parece que o evento está ocorrendo repetidamente
  • memórias vivas e intrusivas do evento
  • pesadelos frequentes sobre o evento
  • desconforto mental ou físico quando lembrado do evento
  • apatia emocional
  • falta de interesse em atividades diárias
  • incapacidade de expressar sentimentos
  • e, por fim, evitar pessoas ou situações que são lembretes do evento

 

National Institute of Mental Health [1]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo