Sua saúde

Sintomas de estresse: sinais na pele, corpo, comportamento que indicam que você estáestressado

sintomas de estresse

Os sintomas de estresse podem estar afetando sua saúde, mesmo que você não perceba.

Algumas pessoas realmente não percebem que  a dor de cabeça irritante, a insônia frequente ou a baixa produtividade no trabalho, são resultados de estresse.

Os sintomas de estresse não afetam somente o comportamento.




A pele costuma ser uma das áreas mais afetadas quando o corpo está passando por situações estressantes.

Relacionamos a seguir, os sintomas comuns do estresse.

Quais são os sintomas de estresse?

De fato, os sintomas do estresse podem afetar seu corpo, seus pensamentos, sentimentos e seu comportamento.

Ser capaz de reconhecer sintomas comuns de estresse pode ajudá-lo a gerenciá-los.

Mas, o estresse não controlado e tratado pode contribuir para muitos problemas de saúde, como pressão alta, doenças cardíacas, obesidade e diabetes.

Algumas doenças de pele como acne, dermatite e herpes também estão fortemente relacionadas a crises de estresse.

Sintomas de estresse no comportamento

  • Alterações no apetite. O estresse pode tirar o apetite ou causar fome voraz. Estudos, de fato, mostram que pode haver uma associação entre alterações no apetite e nos níveis de estresse. Para alguns, níveis mais altos de estresse também podem estar associados ao ganho de peso.
  • Explosões de raiva
  • Uso excessivo de álcool, tabaco e outras drogas
  • Retraimento social e depressão. Alguns estudos descobriram que altos níveis de estresse podem estar associados à depressão e a episódios depressivos.
  • Desânimo, sobretudo, nenhum estímulo para exercícios físicos, saída com amigos, viagens, etc.

Sintomas de estresse no humor

  • Ansiedade
  • Inquietação
  • Falta de motivação e foco
  • Sentimento de sobrecarga


  • Irritabilidade e raiva
  • Depressão

Sintomas de estresse no corpo

  • Dor de cabeça. O estresse é um gatilho comum para a cefaleia. Alguns estudos [3] [4]descobriram que o aumento dos níveis de estresse está associado ao aumento da frequência da dor de cabeça.
  • Tensão e dor muscular. Alguns estudos [5] [6] descobriram que a dor crônica muscular pode estar associada a níveis mais altos de estresse, bem como a níveis aumentados de cortisol.
  • Taquicardia. Estudos [11] [12] mostraram que altos níveis de estresse podem causar batimentos cardíacos acelerados ou batimentos cardíacos. Eventos ou tarefas estressantes também podem aumentar a freqüência cardíaca.
  • Fadiga e problemas de sono. O estresse está associado à fadiga e interrupções no sono, que podem resultar em diminuição dos níveis de energia.
  • Alterações no desejo sexual. Alguns estudos [7] [8]descobriram que níveis mais altos de estresse estão associados a menos desejo sexual, excitação e satisfação.
  • Dor de estômago. Estudos  [9] [10]também descobriram que o estresse pode estar associado a problemas digestivos, como constipação e diarreia, especialmente naqueles com distúrbios digestivos.
  • Problemas de pele. Falaremos, detalhadamente, a seguir sobre as alterações na pele que indicam estresse.
  • Sistema imunológico fraco. Se você anda adoecendo com o frequência, considere o fato de estar realmente estressado.  Estudos [1] [2] mostram que níveis mais altos de estresse estão associados ao aumento da suscetibilidade à infecção.



10 sintomas de estresse na sua pele

Quando estamos tensos nosso organismo sofre mudanças hormonais que libera excesso dessas substancias na corrente sanguínea resultando em alterações do sistema imunológico.

Isso tudo termina por deixar o corpo vulnerável à infecção e outros problemas de saúde.

O  rosto é a  primeira região a sofrer com a tensão.

Logo aparecem descamações, áreas avermelhadas e ressecadas, olheiras e pele sem brilho.

Peles oleosas também ficam com os poros mais dilatados e a derme mais grossa.

Mas não é só isso, abaixo relatamos outros 10 efeitos que podem fazer com que você perceba que está em um alto nível de estresse.

1. Surgimento de cravos e espinhas

Devido às fortes mudanças hormonais, é bem comum que soframos com cravos e espinhas durante a adolescência, mas na fase adulta, situações de tensão persistente podem desencadear alterações hormonais que resultam no surgimento de cravos e espinhas.

O estresse aumenta a produção das glândulas sebáceas e deixa a pele mais oleosa, favorecendo o surgimento da acne.

Especialistas recomendam que não cutuquem os cravos e espinhas, pois micro-organismos presentes nas unhas podem causar um processo inflamatório na acne, piorando o estado da pele e aumentando as chances de virar uma cicatriz.

O melhor é evitar comidas gordurosas, lavar o rosto pelo menos duas vezes ao dia e tentar relaxar ao máximo.

2. Alergias na pele

O estresse age nos mastócitos, células do tecido conjuntivo associadas às reações alérgicas.




Isso pode resultar em um aumento na coceira e no prurido. O mastócito está repleto de receptores para os mediadores do sistema do estresse.

E quando ficamos emocionados, as forte emoções podem acionar o sistema de estresse pois podem ser vistos como alertas de “ameaças” ao corpo.

A Ansiedade, a Tristeza, e Sustos, etc podem aparecer ao sistema de estresse como alertas de ameaça e ao receber a alerta, o sistema de estresse vai se-responder liberando mediadores fortes.

Estes acabem acionando os mastócitos e assim liberando seus mediadores criando reações “pseudo-alérgicos”.

3. Dermatite seborreica

A dermatite seborreica é uma inflamação na pele que causa principalmente escamação e vermelhidão em algumas áreas da face, como sobrancelhas e cantos do nariz, couro cabeludo e colo.

É uma doença de caráter crônico, com períodos de melhora e piora dos sintomas.

A inflamação pode ter origem genética ou ser desencadeada por agentes externos, como alergias, situações de fadiga ou estresse emocional, tempo frio, excesso de oleosidade.

A presença de um fungo, o Pityrosporum ovale, também pode provocar dermatite seborreica.

4. Furúnculo

Essa infecção é muito comum em regiões com dobras ou pelos, como virilha e bumbum.

O furúnculo se transforma em um nódulo endurecido, vermelho e bem dolorido e, se não for tratado, pode virar uma ferida com pus.

O estresse pode ser uma das causas de furúnculos recorrentes. Além do tratamento antibiótico, o furúnculo precisa ser drenado, mas somente um médico que vai determinar a hora certa e fazer esse procedimento com higiene e técnica adequadas.

5. Herpes

Cerca de 90% das pessoas no mundo inteiro já tiveram contato com o vírus do herpes simples, mas apenas metade teve algum tipo de manifestação.

Para quem já tem herpes, existem alguns fatores que podem desencadeá-lo, como por exemplo, o sol, a má alimentação, o estresse, o sono ruim e a tristeza ou depressão.

Todas essas situações geralmente enfraquecem o sistema imunológico, o que pode ativar o vírus e favorecer o surgimento das lesões.

Para evitar o aparecimento das feridas, é fundamental, portanto, manter o sistema imunológico forte e também agir antes com o medicamento, o aciclovir.

É muito comum as pessoas esperarem as lesões aparecerem para aplicar a pomada, mas o princípio do remédio é inibir a replicação viral, ou seja, evitar que o vírus se multiplique.

Por isso, aos primeiros sinais de comichão, coceira e aquecimento na boca, por exemplo, fase que dura de 6 a 48 horas até o aparecimento da ferida, é importante já aplicar a pomada ou tomar o remédio oral para inibir a ação do vírus

6. Micose

A micose é uma infecção é causada por fungos que podem ser adquiridos na praia ou nas piscinas, eles se proliferam em ambientes úmidos, fechados e quentes.

A lesão da micose é um indicativo de que o sistema imunológico está deficiente.

Uma situação de estresse acaba diminuindo nossa imunidade e consequentemente facilitando a proliferação de fungos na pele.

Para conter esse problema, seque o local após o banho todos os dias e use antifúngicos orais e tópicos (pomadas) indicados por um dermatologista.

7. Rosácea

Rosácea é uma doença de pele da face humana, que se caracteriza por manchas avermelhadas e inflamações do tecido vascular no rosto causando dilatação dos vasos sanguíneos da face em peles mais oleosas.

Quando a pele está infeccionada pode criar pústulas e abcessos.

A rosácea piora com a ansiedade e estresse e piora quando há grandes variações climáticas e com a ingestão de álcool, cafeína e comida apimentada.

Também piorar com o uso de cremes esteroides, exercício intenso ou durante a menopausa.

Para saber mais sobre rosácea leia o texto: Minha médica disse que eu tenho Acne Rosácea. O que é isso?

8. Psoríase

A Psoríase manifesta-se, basicamente, por lesões que fazem a pele descamar e formar uma espécie de relevo avermelhado.

As áreas de atrito, como cotovelos e joelhos, são foco do problema.

Mas ele também afeta o couro cabeludo, as palmas e as plantas das mãos e pés e unhas.

A manifestação física pode ser agravada pelo estresse assim como o seu surgimento pode ser desencadeado por ele.

Os fatores emocionais atuam fortemente em quem já têm uma predisposição genética para a doença.

No Brasil, cerca de 4 milhões de indivíduos lutam para minimizar os danos provocados por ela.

Para sber mais sobre Psoríase leia o texto: Como meus filhos herdaram psoríase se meu marido e eu não temos essa doença?

9. Envelhecimento precoce

Perda da vitalidade, diminuição da elasticidade, linhas de expressão e manchas são os principais sinais do envelhecimento da pele.

Para evitar que esse problema seja precoce, vale a pena controlar as emoções, uma vez que o estresse pode acelerar a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células.

Exposição solar exagerada, falta de hidratação adequada e tabagismo são outros fatores que podem antecipar o aparecimento de rugas.

10. Olheiras

O que causa as olheiras é o depósito de melanina, pigmento que dá cor,  na pele que fica abaixo dos olhos.

Acontece que essa região da pele é bastante fina, então quando o sangue passa pelas veias próximas à superfície, pode aparecer a cor escura que provoca as olheiras.

Quanto mais fina for a pele, mais escuras podem ser as olheiras. As origens das olheiras são diversas, indo desde causas genéticas até noites mal dormidas e estresse físico ou emocional.


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo