Sua saúde

Cansaço é somente um dos sintomas indicadores de que você está com gordura no fígado e não sabe!

Sintomas de gordura no fígado: Veja se seu problema é esteatose

Cansaço é somente um dos sintomas indicadores de que você está com gordura no fígado e não sabe!
4 (80%) 12 votes

A gordura no fígado, também conhecida por esteatose hepática, normalmente não provoca sintomas nos graus mais leves da doença, e por isso é uma doença silenciosa.  Geralmente, o acúmulo de gordura neste órgão não é uma alteração considerada grave, no entanto, quando não é tratada, pode gerar perda de funcionamento das células do fígado, originando cirrose. Um dos primeiros sintomas de gordura no fígado é cansaço e barriga inchada, o que incomoda bastante.

A gordura no fígado ocorre quando você ingere mais gordura e calorias do que seu fígado pode processar. Como resultado, gorduras simples se acumulam nas células do fígado, deixando-o propenso a danos. De acordo com um estudo publicado na Scientia Medica (1),   a obesidade mórbida está associada à esteatose hepática. Além disso, os autores disseram que isso determina risco de cirrose e de carcinoma hepatocelular.

Apesar de pessoas obesas serem mais propensas a desenvolverem a doença, pessoas magras também, podem ter acúmulo de gordura no fígado. Contudo o estudo revela que a prevalência de esteatose aumenta de 16,4% na população com peso normal para 75,8% em pacientes obesos que não utilizam álcool. Felizmente, na maioria das vezes uma dieta para gordura no fígado resolve o problema em alguns meses.




Sintomas de gordura no fígado

Gordura no fígado causa cansaço extremo

Um dos indicadores principais é que as pessoas que têm doenças do fígado ou um excesso de gordura nessas células apresentam um cansaço muito forte. Ele é notado principalmente pela manhã: é muito difícil se levantar, espreguiçar e encontrar forças para começar o dia. O esgotamento também é muito intenso depois das refeições.



Dor abdominal constante

Quando há um excesso de gordura no fígado, ele tende a se inflamar e aumentar de tamanho. Este, é um dos sintomas de gordura no fígado, mais clássicos. O abdômen dói (dor de barriga) e sente-se um incômodo muito característico embaixo das costelas, que se irradia até a região das costas. É uma pressão que pode se transformar em uma espécie de “dor quente”, como se fosse uma placa ardendo.



Barriga inchada

Um abdômen aumentado, uma condição chamada Ascite, que ocorre devido a retenção de fluidos no abdômen e fígado, ocorre com o estabelecimento de doença hepática severa. A ascite leva a um abdômen aumentado e duro, e um umbigo que parece empurrado para fora devido a retenção de líquidos. Ela também pode causar dificuldade de respiração devido a pressão severa nos órgãos internos.

Fezes esbranquiçadas

A coloração normal das fezes é castanho-escura. Fezes brancas (acolia fecal), esbranquiçadas ou claras podem ser sinal de problemas no fígado, sobretudo o acúmulo de gordura. Isso porque, alterações hepáticas causam problemas na fabricação da bile, deixando as fezes mais claras ou com vestígios de cor branca. A bile contém uma substância amarelada chamada bilirrubina, e problemas no sistema no sistema biliar, também ocasionados por problemas no fígado, provocam ausência de bilirrubina nas fezes, tornando as fezes mais claras ou até mesmo brancas em alguns casos.

Urina muito escura

Ao contrário das fezes, a urina fica muito escura quando há uma alteração no fígado. Se você tem esteatose, um dos sintomas de gordura no fígado é urinar escuro (alaranjado forte, normalmente). A bilirrubina em excesso no sangue vai sendo eliminada na urina resultando em urina, bem escura.

Olhos e/ou pele amarelos

Icterícia é nome dado à coloração amarelada da pele, olhos e mucosas. O problema, a saber, surge devido ao acúmulo de bilirrubina no sangue. Quando o órgão hepático se encontra doente, pode perder capacidade de metabolizar e/ou eliminar a bilirrubina que é constantemente produzida pelo baço. Nesta situação há acumulo de bilirrubina no sangue. Ao mesmo tempo, há deposição do excesso na pele, o que provoca o amarelamento, inclusive nos olhos.

Artigo médico-científico:  Scientia Medica (1)

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo