Sua saúde

Como parar de fumar: dicas de especialistas para nunca mais colocar um cigarro na boca

Como parar de fumar: melhor guia para largar o cigarro definitivamente

Como parar de fumar: dicas de especialistas para nunca mais colocar um cigarro na boca
5 (100%) 1 vote

Parar de fumar não é fácil. Isso porque, o fumante não está lidando com um capricho e sim, com uma dependência química. Mas, assim como qualquer droga, é possível se livrar do cigarro. Saber como parar de fumar, é, praticamente, impossível. Se existisse uma pílula definitiva, o vício já teria sido erradicado. Reunimos aqui, as dicas mais precisas que formam um melhor guia para largar o cigarro, definitivamente

Como todos estão cansados de saber, o desejo de fumar é um vício. Então, é importante saber administrar o processo de desmame, utilizando diversos métodos. Algumas pessoas conseguem decidir por parar e conseguem. Já outras, passam por um longo processo e, sofrem – muito – com tudo.

A fase de abstinência é complicada para a maioria dos fumantes.  Os principais sintomas são irritabilidade, ansiedade, depressão, inquietação e mal-estar físico. Além disso, poderá ter dores de cabeça e alterações do sono.




Leia também: Artigo científico revela se vale a pena, em termos de saúde, substituir o cigarro convencional pelo eletrônico

Comece se preparando para parar de fumar

O médico, clínico geral, Dra. Arthur Frazão, diz que sem uma preparação prévia, é impossível se quer passar da primeira fase do processo. Assim, há pequenas regras que ajudam a se preparar do desmame químico do cigarro.

Definir quando irá iniciar o processo é o primeiro passo. Depois da decisão de parar de fumar, você precisa se colocar limites e definir esta data. Pense em algo do tipo: “a partir de semana que vem, iniciarei o processo”. Ou então: “dia 10 será meu último dia como fumante”. De acordo com o médico, é indispensável, que este prazo não seja maior que 20 dias. Isso porque, neste tempo, a decisão pode ir e vir diversas vezes. Então seja corajoso, defina uma data próxima.



Retirar objetos relacionados a cigarro de casa, é indispensável. Assim, na véspera do início do processo, definido por você, se livre definitivamente de cinzeiros, isqueiros, pacotes de cigarro, etc. Tudo que ajuda você a fumar, deve ser definitivamente, tirado do seu ambiente diário.

Evitar o cheiro do cigarro é importante, de acordo com o médico. Dr. Frazão diz que antes da data do início do desmame, cuide para lavar as roupas, cortinas, lençóis, toalhas e qualquer outro objeto que possa ter cheiro de cigarro. Ao mesmo tempo, lembre-se de evitar locais onde as pessoas, geralmente, fumam. Você deve evitar mesmo, o cheiro de cigarro durante o processo de desmame.

Envolver a família e amigos no processo é importantíssimo para você. Converse com todos, diga que pretende parar de fumar e que precisa de ajuda para isso. Explique os sintomas da abstinência e, acima de tudo, peçam para que jamais fumem perto de você.

Vá ao médico, se achar necessário. Assim, seu médico poderá até mesmo ajudar com algum antiansiolítico natural para ajudar no processo. Muitas pessoas precisam dessa ajuda.



Inicie o processo

Chegou o dia definido por você. Psicologicamente, você já irá despertar sabendo que não irá fumar mais, e, por isso, seu cérebro vai ser cruel. Sua mente ficará fixada nesse assunto. Portanto, esse deve ser um dia de diversão, nunca fique sozinho. O ideal neste dia é fazer atividades com água: ir à praia, piscina. Evite alimentos que te deixam com vontade de fumar. Algumas pessoas simplesmente, não resistem ao cigarro se tomarem um cafezinho. Então, evite.

Comer quando quiser fumar

Calma, nada de fastfood e comidas pesadas, isso dará mais vontade de fumar. Quando se deixa de fumar, deve-se manter à mão uma bala sem açúcar, um copo de água ou chá, pedaços de gengibre ou suco de goiaba. Tudo isso, serve para mascar ou beber sempre que der muita vontade de fumar.

Ajuda química

A nicotina presente no tabaco é a principal causadora dessa dependência. Depois de chegar ao cérebro, ela libera várias substâncias que estimulam a sensação de prazer no fumante.  Assim, a síndrome de abstinência ao cigarro é, definitivamente, causada pela falta de nicotina no organismo.

Assim, muitos fumantes precisam manter os níveis de nicotina no sangue durante as primeiras semanas de desmame. No mercado, existem várias estratégias liberam a substância gradativamente. A lista abaixo foi recomendada pela cardiologista Roberto Cury, do Laboratório Pasteur, em São Paulo.

Pastilhas de nicotina: As pastilhas exigem uma dose maior para pacientes que fumam o primeiro cigarro em menos de 30 minutos após acordar. Devem ser usadas embaixo da língua para melhor absorção.

Chicletes de nicotina: Aos serem mastigados, os chicletes liberam nicotina gradualmente, e esta é absorvida pela mucosa oral, com pico em 20 minutos. Deve ser usado durante os sintomas de abstinência.

Adesivos de nicotina: Eles devem ser usados constantemente e trocados a cada 24 horas, sem interferir nas atividades do indivíduo. A saber, não possuem contraindicação formal, de acordo com o médico.

Spray nasal de nicotina: O spray nasal libera uma solução aquosa com nicotina na mucosa nasal com rápida absorção e pico de 10 minutos. Contudo, seu uso é recomendado por até três meses.

Leia também: Atenção: Filhos de pais fumantes são mais propensos a serem também viciados em cigarro!

Medicamento + reposição de nicotina

Muitos fumantes precisam realmente de uma ajuda mais invasiva para parar mesmo de fumar. A Bupropiona é amplamente utilizada para ajudar a parar de fumar, sobretudo em países da Europa. Mas, também muito usado no Brasil. Diferente das terapias de reposição de nicotina citadas acima, os fumantes devem iniciar o uso da Bupropiona uma semana antes da abstinência.

No entanto, segundo Dr. Cury, a Bupropiona pode ser usada em conjunto com outras terapias de reposição, como o chiclete de nicotina, mas independentemente de ser ministrada individualmente ou não, pede o acompanhamento médico.

Um estudo publicado no Journal of Pneumology [1] utilizou 169 pacientes, com idade média de 46,4 (± 10,4) anos; a maioria fumava em média 20 cigarros/dia por 30 anos. Os voluntários, usaram a Bupropiona em conjunto com terapia de reposição de nicotina. Como resultado, 49% pararam de fumar, 14% diminuíram significativamente o número de cigarros fumados e 37% fracassaram.

TS / MV

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo