Fezes finas, longas e em tiras: o que pode ser?


Quando as fezes sofrem qualquer tipo de alteração, a primeira coisa que devemos observar é se mudou algo na dieta.

Isso porque, o que normalmente muda a consistência, cor, formato do nosso cocô está relacionado a mudanças alimentares. Isso é fato!

No entanto, muitas vezes, fezes diferentes podem ser indicativas de problemas de saúde.

As fezes finas, longas e em tiras é um bom exemplo de sintomas graves.

Mas, o que pode ser?

Se você sempre teve fezes normais (tipo banana), e de repente passou a evacuar fezes finas, em tiras e molengas, algo está errado.

As fezes finas, parecidas com fitas ou muito estreitas, também conhecidas como “fezes do tipo lápis” (pencil-like, em inglês), pode ser um problema na dieta e ao mesmo tempo algo grave.

Vamos ver as principais causas e o que fazer.

Dieta pobre em fibras

As fibras vêm de uma alimentação rica em grãos integrais, frutas, feijões, legumes e verduras.

As pessoas que são fãs de fastfood, por exemplo normalmente se privam deste tipo de alimentação.

Assim, ter as fezes finas e em tiras pode indicar uma dieta pobre em fibras.

Isso porque, as fibras dão volume às fezes, dando aquele formato de “banana”.

Sem as fibras, as fezes perdem o volume, se tornam finas e, muitas vezes em tiras.

O que fazer? Muito simples resolver este problema.

Passe a se alimentar melhor, incluindo farelos integrais (aveia, pães integrais, etc), coma leguminosas, frutas e vegetais frescos.

Se achar necessário, compre um suplemento de fibras, isso irá ajudar muito!

Hérnias abdominais

A hérnia é uma protuberância de algum órgão interno que pode aparecer em diversos locais do corpo como umbigo, abdômen, coxa, virilha e coluna.

O resultado da hérnia abdominal é que muitas vezes há uma compressão do conteúdo dos intestinos.

Isso, muitas vezes, leva ao estreitamento da passagem intestinal e menos espaço para a passagem de resíduos alimentares.

Como resultado, a pessoa passa a evacuar fezes finas, estreitas, em formato de lápis.

Junto com as fezes finas, a pessoas terá sintomas parecidos com a azia e desconforto abdominal.

Infecções intestinais

As infecções intestinais levam as pessoas a evacuarem fezes estreitas e moles.

Podem ser infeções bacterianas por Salmonela ou Shigella, ou por parasitas, como no caso da giardíase.

Nestes casos, podem haver sintomas como cólicas abdominais, vômitos ou febre.

Muitas vezes, essas infecções podem causar diarreia e tornar a cor do cocô verde.

Fezes finas, longas e em tiras: veja o que pode ser?
Se suas fezes parecem finas demais, como um lápis, por um ou dois dias, não é preciso se preocupar. Mas se o aspecto for algo comum, procure um médico, pois pode ser sinal de algo mais grave, como câncer no reto.

Doença intestinal inflamatória

O processo inflamatório causado pela doença de Crohn ou colite ulcerativa podem alterar os movimentos intestinais.

Por causa disso, um dos sintomas que podem acontecer é a presença de fezes finas e em tiras.

Ao mesmo tempo, nestes casos a pessoa perceberá sangue e muco nas fezes.

Síndrome do intestino irritável

Se você sofre de síndrome do intestino irritável, então isso pode explicar suas fezes estreitas e finas.

Esta síndrome provoca uma alteração no movimento intestinal e aumenta a produção de muco no intestino grosso.

O cocô sai com muito muco e com formato de fita ou lápis.

Câncer no cólon

Embora a maioria dos sites hoje indiquem que as fezes finas e estreitas indicam o câncer intestinal, não se preocupe.

Isso porque, esta é a causa mais rara de cocô com forma de fita, fino, estreito como lápis.

A ideia é que os tumores em crescimento dentro da parede do intestino grosso possam comprometer o calibre e resultar em fezes em forma de fita.

Os médicos alertam que

De acordo com dados médicos, para cogitar a possibilidade de um câncer no cólon, é preciso que além das fezes finas, outros sintomas estejam associados.


 Dentre eles se destacam: coceira anal, sangue nas fezes e perda de peso inexplicável.

Se este for o caso, consulte um médico para avaliação completa.

Última atualização em 16 de abril de 2019

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.