Sua saúde

Sintomas de tireoide alterada: tudo o que você precisa saber

sintomas de tireoide alterada

Os sintomas de tireoide alterada variam de acordo com o tipo de alteração sofrida pela glândula.

Mas, vamos ver isso adiante.

O que é tireoide?

A tireoide é a nossa glândula endócrina e que fica situada na frente da laringe.

Ela faz parte do nosso sistema endócrino e produz os hormônios chamados de tiroxina (T4) e tri-iodotironina (T3), que têm a responsabilidade de controlar a forma como as nossas células queimam a energia.

Esse processo é conhecido como metabolismo.

A tireoide tem duas responsabilidades fundamentais para o funcionamento adequado do nosso organismo:

  • Controle da hipófise
  • Secreção dos hormônios da tireoide

Quando essa glândula, por algum motivo, começa a não funcionar como deveria, ela passa a produzir mais ou menos hormônios.

E as consequências disso são os distúrbios da tireoide.

No artigo de hoje, falaremos sobre um desses distúrbios: o hipertiroidismo.

Como o próprio nome sugere, trata-se de uma hiperatividade dessa glândula.

Acontece porque ela começa a trabalhar demais, sem controle.

Ou seja, esse conhecido distúrbio aparece quando a tireoide está produzindo altas quantidades de hormônios, seja a curto ou a longo prazo.

Quando essa produção excessiva acontece por um curto período, trata-se de hipertiroidismo agudo.

Quando o prazo é maior, trata-se de hipertiroidismo crônico.

As causas desse quadro de hipertiroidismo, podem ser variadas. E entre as mais comuns estão:

  • Ingestão de iodo em excesso
  • Inflamação na glândula da tireoide (tireoide inflamada)
  • Tumores na tireoide,
  • Tumores nos ovários ou testículos
  • Doença de Graves

Entre as causas, a mais comum é a Doença de Graves, uma doença crônica e auto-imune que impacta o funcionamento correto da glândula da tireoide.

Os pacientes nessa condição podem apresentar um sintoma único desse formato de distúrbio: uma forte irritação nas pálpebras e olhos.

Ainda não existem estudos comprobatórios sobre as causas da Doença de Graves.

Mas, eles apontam para a possibilidade de que alguns anticorpos acabem incentivando a produção exagerada dos hormônios produzidos pela glândula da tireoide.

A Doença de Graves costuma apresentar hereditariedade.

Portanto, quem tem casos familiares sobre esse diagnóstico, precisa ficar um pouco mais atento a sintomas e sinais.

Sintomas de tireoide alterada

Tireoide alta

Os sintomas do hipertiroidismo se assemelham com uma série de sintomas de outras doenças.

Entre os sintomas de hipertiroidismo mais comuns, estão:

  • Perda rápida de peso
  • Aumento de apetite
  • Aumento de pressão arterial
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Palpitações cardíacas
  • Transpiração atípica (em excesso)
  • Diarreia constante
  • Desenvolvimento do famoso papo embaixo do pescoço
  • Irregularidade no ciclo menstrual
  • Impactos na fertilidade
  • Genética

Vale ressaltar que herdar geneticamente distúrbios da tireoide é bem comum.

Portanto, quem tem casos na família, deve consultar com mais frequência um médico endocrinologista.

Além dos sintomas mais comuns, alguns pacientes podem apresentar também sintomas como:

  • Surgimento de mamas maiores em homens
  • Pele mais fria e úmida
  • Coceira generalizada
  • Enjoos e vômitos
  • Vermelhidão na pele
  • Exoftalmia (quando os olhos ficam mais saltados)

Tireoide baixa

Os sinais e sintomas do hipotireoidismo variam, dependendo da gravidade da deficiência hormonal.

Os problemas tendem a se desenvolver lentamente, muitas vezes ao longo de vários anos.

No início, obviamente, o paciente nem nota os sintomas, como fadiga e ganho de peso.

Mas, com a queda no metabolismo a pessoa passa a desenvolver problemas mais óbvios.

Sinais e sintomas de hipotireoidismo, também conhecida como tireoide baixa, podem incluir:

  • Fadiga
  • Maior sensibilidade ao frio
  • Prisão de ventre
  • Pele seca
  • Ganho de peso
  • Rosto inchado
  • Rouquidão
  • Fraqueza muscular
  • Nível elevado de colesterol no sangue
  • Dores musculares, sensibilidade e rigidez
  • Dor, rigidez ou inchaço nas articulações
  • Mais pesado do que períodos menstruais normais ou irregulares
  • Queda de cabelo
  • Ritmo cardíaco diminuído
  • Depressão
  • Memória prejudicada
  • Glândula tireoide aumentada (bócio)

Tratamento para tireoide

Como tratar hipertireoidismo

Antes de mais nada, vale lembrar que um tratamento para tireoide como este, precisa de indicação, orientação e acompanhamento médico.

Dito isso, o tratamento do hipertireoidismo depende de alguns fatores como idade, causas e a seriedade do quadro diagnosticado.

No geral, o quadro de hipertiroidismo pode ser tratado:

1- Remédios antitireoidianos

Eles provocam a diminuição da quantidade de hormônio que a glândula produz.

São medicamentos com capacidade de controlar essa produção e o quadro no geral.

2- Iodo radioativo

O tratamento para tireoide com iodo radioativo cura completamente a condição, mas traz consigo uma questão importante: o paciente passa o resto da vida tomando medicamentos de hormônio que mantém os níveis hormonais adequados.

3- Beta-bloqueadores

Os chamados beta-bloqueadores são medicamentos que controlam os sintomas do quadro, mas não resolvem a condição.

4- Cirurgia

Para os quadros mais relevantes, a intervenção cirúrgica é uma opção.

O que acontece nesse caso é a remoção da glândula da tireoide.

Costuma ser indicada quando o paciente não pode ser tratado com iodo radioativo ou com medicamentos antitireoidianos.

A cirurgia, no entanto, pode acarretar riscos para as cordas vocais.

Todo e qualquer tipo de tratamento traz riscos e soluções. Por isso, a participação de um profissional de saúde é tão fundamental.

Como tratar hipotireoidismo

O tratamento de hipotireoidismo considerado padrão, conta com a ingestão diária de um comprimido do hormônio T4 (conhecido como tetraiodotironina).

O medicamento conhecido como levotiroxina é ministrado via oral e tem resultado eficaz.

O levotiroxina contribui para a restauração eficaz dos níveis corretos de hormônios.

Logo que o tratamento do hipotireodismo começa, os sinais e sintomas são rapidamente reduzidos.

Doenças da tireoide tem cura?

As doenças da tireoide não têm cura, mas podem ser controladas.

Com elas sob controle e acompanhamento médico, os pacientes conseguem ter qualidade de vida normal.

O método de tratamento mais comum e simples é a reposição hormonal.

Trata-se de um tratamento relativamente simples onde o paciente toma, via oral, um comprimido diário, para todo o sempre.

Tireodectomia

A tireodectomia é a cirurgia de remoção total da glândula da tireoide.

Trata-se de uma intervenção segura, mas que, como toda a operação, pode apresentar riscos para os pacientes.

A indicação da tireodectomia acontece em casos de suspeitas de câncer, câncer já diagnosticado ou aumento importante o bócio (conhecido como papo).

São dois os tipos de tireoidectomia:

  • a parcial – que remove a metade da tireoide
  • a total – que remove completamente a glândula.

A maior implicação dessa cirurgia, é que o paciente passa a ter que tomar um comprimido diário para dosar o hormônio da tireoide, para o resto da vida.

Tiroide de hashimoto

Outro tipo de problema nessa glândula é a tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune.

O que acontece nesse diagnóstico é que o nosso próprio sistema ataca as células da tireoide, inflamando-a.

O resultado desse processo é o hipertireoidismo passageiro.

Logo depois, é comum o paciente ter também o hipotireoidismo.

A tireoide de Hashimoto está entre as causas mais corriqueiras do hipotiroidismo.

Geralmente os pacientes são mulheres adultas.

Os principais sintomas da tireoide de Hashimoto são:

  • Fadiga e cansaço excessivo
  • Unhas frágeis e quebradiças
  • Queda de cabelo
  • Aumento da glândula da tireoide (costuma acontecer sem dores)

Esse quadro só pode ser diagnosticado por um médico e através de um exame de sangue que analisa a quantidade de T3, T4 e TSH.

O tratamento da tireoide de Hashimoto é recomendado para os casos onde existe qualquer alteração nos valores de TSH.

Normalmente, o processo começa com reposição hormonal com Levotiroxina.

O mais comum é que esse ciclo do tratamento tenha duração aproximada de 6 meses.

Depois disso, novos exames detectam a necessidade de prolongamento do mesmo ou até de troca do medicamento.

Um fator bastante relevante para esse tipo de tratamento é a alimentação.

Quem tem distúrbios dessa glândula, precisa adotar uma alimentação mais equilibrada e rica em alimentos como zinco, iodo e selênio.

Considerações finais

O hipertiroidismo é uma doença que acomete a glândula da tireoide e acontece quando a glândula perde a capacidade de funcionar corretamente, passando a produzir muito mais hormônios do que a quantidade normal.

Essa condição costuma ser mais comum entre as mulheres entre 20 e 40 anos de idade.

Apesar disso, os homens também podem ter distúrbios nessa glândula.

Esse quadro tem tratamento simples, mas que deve ser diagnosticado e acompanhado por um profissional com especialidade em endocrinologia.

Geralmente, o tratamento mais recomendado é a reposição hormonal, que consiste na ingestão de um comprimido diário.

Os casos mais importantes, podem levar até a intervenção cirúrgica parcial ou total da glândula da tireoide, para controle do distúrbio.

Quando o quadro é controlado com tratamento mais simples, logo que o tratamento começa, os sintomas apresentam rápida melhora.

Os sintomas do hipertiroidismo podem se assemelhar com os de diferentes doenças e exatamente por isso, retardar o diagnóstico.

Os distúrbios da tireoide não têm cura, mas são controlados.

O importante é buscar ajuda médica o quanto antes e seguir as orientações e o tratamento adequado para o seu caso.

Fique de olho na saúde!

Quadros de hipertireoidismo não tratados, podem gerar problemas de saúde mais relevantes! Se cuide!

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo