Alimentação

Refluxo em Bebês: Causas e o que fazer para evitar e combater o problema

Refluxo infantil em bebês

O refluxo em bebês ocorre quando o alimento ingerido faz o caminho de volta do estômago.

Este refluxo em crianças é exatamente a mesma coisa do refluxo gastroesofágico que acontece com adultos.

Nos bebês, a condição é raramente é grave e se torna menos comum à medida que o bebê cresce.




Aliás, de acordo cm especialistas, não é comum que o refluxo infantil continue após os 18 meses de idade.

Enquanto o bebê estiver saudável, se alimentando, contente e crescendo bem, o refluxo não é motivo de preocupação.

Raramente, o refluxo em bebês pode ser um sinal de um problema médico, como alergia, bloqueio no sistema digestivo ou doença do refluxo gastroesofágico.

Sintomas do refluxo em bebês

Como já dito, o refluxo infantil geralmente não é motivo de preocupação.

Afinal, o conteúdo do estômago do bebê não costuma ter ácido suficiente para irritar a garganta ou o esôfago e causar sinais e sintomas.

O refluxo geralmente começa antes que o bebê tenha 8 semanas e melhora, normalmente por volta de um ano de idade.

Os sintomas de refluxo em bebês, podem ser bem variados, desde a irritabilidade, sono agitado,  vômitos e perda de peso, por exemplo.

Os sintomas em bebês incluem:

  • regurgitar o leite ou ficar doente durante, ou logo após a alimentação
  • tosse ou soluço ao se alimentar
  • ficar agitado durante a alimentação
  • engolir após arrotar ou alimentar
  • azia, gases, dor abdominal ou cólica
  • tosse ou chiado frequente, ou persistente
  • peso abaixo do normal, pois, não mantêm comida suficiente no estômago
  • Rouquidão devido à irritação da acidez no estômago

Contudo, há sintomas que merecem ser comentados, de qualquer forma.



O bebê está regurgitando pouco ou muito conteúdo?

Regurgitar ou golfar como dizem algumas mães, é comum nos bebês.

Mas fique atenta se isso tem acontecido com frequência e se o conteúdo é em grande quantidade.

Quanto mais velho o bebê, mais ele será capaz de segurar o alimento no estômago, então a tendência é melhorar com o tempo.

Se seu filho já tem 1 ano e sempre regurgita (ou vomita) após se alimentar, principalmente de líquidos, busque ajuda médica.

O bebê tem se recusado comer?

Seu bebê pode se recusar a comer se sentir dor durante a alimentação.

Essa dor pode ser causada pela irritação que ocorre quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago.

Além de não comer, ele poderá ter muita dificuldade de engolir, caso tente.

Ele também,  pode começar a gritar e chorar durante a alimentação.

Esse comportamento é clássico  do refluxo em bebês e ocorre devido ao desconforto abdominal ou irritação esofágica.




Seu bebê tem arrotos e soluços molhados?

Um arroto ou soluço molhado é quando uma criança cospe líquido quando arrota, ou soluça.

Isso pode ser um sintoma de refluxo ácido em bebês.

Contudo, costuma ser comum em bebês até 3 meses.

Seu bebê arqueia o corpo durante a alimentação?

Os bebês podem arquear seu corpo durante ou após a alimentação.

Os especialistas dizem que isso pode ser devido a uma sensação de queimação dolorosa causada pelo acúmulo de líquido no estômago ou no esôfago.

Então, pode ser um sintoma de refluxo se o bebê também cuspir ou se recusar a comer.

O bebê tem tosse frequente?

Seu bebê pode tossir com frequência devido a ácido ou comida que entra na parte posterior da garganta.

Os alimentos regurgitados também podem ser inalados para os pulmões e a traqueia, o que pode levar a pneumonia química ou bacteriana.

Seu bebê engasga com frequência?

Seu bebê pode engasgar quando o conteúdo do estômago voltar para o esôfago.

Se o bebê estiver deitado, durante a alimentação, pode piorar.

A gravidade ajuda a manter o conteúdo do estômago baixo.

É melhor manter a criança na posição vertical por pelo menos 30 minutos após alimentá-lo, para evitar que alimentos ou leite voltem.




Quais são as causas do refluxo em bebês?

Nos bebês, o anel muscular entre o esôfago e o estômago, conhecido como esfíncter inferior do esôfago,  ainda não está totalmente maduro.

Então, em muitos casos esse problema permite que o conteúdo do estômago faça o caminho inverso.

Eventualmente, o esfincter será aberto apenas quando o bebê engolir e permanecerá bem fechado em outros momentos, mantendo o conteúdo do estômago onde devem ficar.

Os fatores que contribuem para o refluxo infantil são comuns em bebês e muitas vezes não podem ser evitados, como por exemplo:

  • manter o bebê deitado na maior parte do tempo
  • dieta quase completamente líquida
  • bebês prematuros

Doenças que causam refluxo em bebês

  • Doença do refluxo gastroesofágico. O refluxo possui ácido suficiente para irritar e danificar o revestimento do esôfago.
  • Estenose pilórica. Uma válvula entre o estômago e o intestino delgado é estreitada, impedindo que o conteúdo do estômago se esvazie no intestino delgado.
  • Intolerância alimentar. A proteína no leite de vaca é, geralmente, o gatilho mais comum.
  • Esofagite eosinofílica. Um tipo de glóbulo branco (eosinófilo) se acumula e fere o revestimento do esôfago do bebê.

O que fazer em caso de refluxo em bebê?

Existem várias medidas que podemos ter para tentar aliviar ou até curar o refluxo ácido em bebês e crianças mais velhas.

Se o problema for em um bebê até 1 ano, tome as seguintes medidas:

  • Evite balançar o bebê
  • Evitar vestir roupas que apertem a barriga
  • Elevar a cabeceira do berço em mais sou menos 30° ou use travesseiro antirrefluxo.
  • Segure o bebê na posição vertical por 30 minutos após a mamada.
  • Engrosse as mamadeiras com cereais (obviamente, com orientação do pediatra).
  • Alimente o bebê com quantidades menores de alimento e com mais frequência.
  • Tente alimentos sólidos (com a aprovação do seu médico).

No caso de crianças mais velhas, faça o seguinte:

  • Eleve a cabeceira da cama da criança.
  • Não permita que a criança termine de comer e se deite.
  • Sirva várias refeições pequenas ao longo do dia, em vez de três refeições grandes.
  • Verifique se o seu filho não está comendo demais.
  • Limite os alimentos e bebidas que parecem piorar o refluxo do seu filho, como alimentos ricos em gordura, fritos ou apimentados, gaseificados e cafeína.
  • Incentive seu filho a fazer exercícios regularmente.

Considerações finais

É bastante importante conversar com o pediatra  se você pensa que seu bebê tem a Doença do Refluxo Gastroesofágico.

O médico pode descartar outras condições ou confirmar um diagnóstico.

Ao mesmo tempo, pode sugerir certas mudanças no estilo de vida que podem ajudar a tratar o problema de refluxo em seu bebê.


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo