Como identificar e curar “sapinho” (candidíase oral) em bebês

7728
candidíase Sapinho em bebê sapinho na língua

O sapinho em bebê é uma condição que deixa a mucosa bucal e a boca, cobertos por placas semelhantes a leite talhado.

Por isso, é muito comum que as mães confundam a doença com restos de leite materno na boca do bebê.

Se trata de uma infecção fúngica oportunista, causada por leveduras (fungos) do gênero Candida, sendo mais frequente a espécie C. albicans.

Os médicos, no entanto, chamam o sapinho em bebê de candidíase oral.

Indice de Conteúdo

Quais os sintomas de sapinho no bebê?

O sapinho em bebê se manifesta como pequenos pontos ou placas brancas na boca do bebe, onde os cantos da boca, a face interna das bochechas e a língua são geralmente mais afetadas.

Além disso, a gengiva, o céu da boca e os lábios também podem ser afetados.

Apesar da aparência como requeijão, queijo cottage ou leite talhado, as manchas brancas não saem quando tentamos limpar a menos que seja fortemente esfregado.

Se as placas se soltam, a pele por baixo será sempre muito vermelha e pode até sangrar.

Aparentemente, as manchas brancas não incomodam o bebê, mas, na verdade, elas causam dor e atrapalham a alimentação.

Outros sinais e sintomas de sapinho em bebês são:

  • saliva esbranquiçada;
  • dificuldade de pegar o peito ou mamadeira;
  • recusa de pegar o peito ou mamadeira;
  • perda de peso;
  • excesso de saliva;
  • garganta inchada e dolorida;
  • dificuldade de engolir;
  • choro constante;
  • febre.

Como meu bebê pegou sapinho na língua?

As leveduras (fungos) do gênero Candida, sobretudo a espécie C. albicans, fazem parte da chamada microbiota natural dos adultos, resultado de um processo de colonização constante que sofremos ao decorrer da vida.

No entanto, ao nascer, o bebe ainda não apresenta sua microbiota formada.

Assim, por não ter o seu sistema imunológico ainda bem estabelecido, pode sofrer a infecção de organismos chamados oportunistas.

Aliás, esse  é o caso das leveduras causadoras do sapinho na língua.

O bebê pode ter seu primeiro contato com C. albicans através do parto normal (passagem pelo canal vaginal).

Contudo, alguns hábitos muito comuns entre os familiares e os próprios pais, como beijar a boca e/ou o rosto do bebe em excesso, podem facilitar a infecção por meio da saliva contendo leveduras.

O compartilhamento de itens como chupetas e mamadeiras também é uma das formas de transmissão.

Outros fatores como o uso de antibióticos (tanto da mãe quanto do bebe) podem facilitar a infecção.

Isso porque, reduzem o número de bactérias da microbiota do bebê, fazendo com que a competição entre as leveduras seja interrompida.

Assim, elas se proliferam de forma aumentada.

Sapinho em bebê sapinho na língua candidíase
É muito comum que as mães confundam a doença com restos de leite materno na boca do bebê, já que as placas que se formam têm um aspecto muito semelhante ao “leite talhado”.

Como tratar do sapinho em bebê?

Muitos casos de candidíase oral em bebês desaparecem em poucos dias sem necessidade de tratamento.

Se os sintomas persistirem ou se forem particularmente incômodos, consulte o pediatra ou um odontopediatra.

A Dra. Eloísa Maffeis, dentista, explicou que o tempo de duração do sapinho em bebês depende muito dos cuidados que ele recebe e ela dá duas dicas:

  1. Limpar a boca do bebê com gaze molhada em água filtrada após cada mamada para remoção dos resíduos do leite;
  2. Promover a esterilização a cada uso de chupetas e mamadeiras.

Ela diz que seguindo as regras de higiene, a duração  do sapinho no bebê será de cerca de uma semana.

Remédio caseiro para sapinho em bebê

  • Limpar sapinho na boca de bebê com bicarbonato. Dissolva 1 colher de chá de bicarbonato em 1 xícara de água filtrada e, com auxílio de uma gaze, fazer a limpeza da boca da criança. Faça isso com delicadeza. Se a mãe estiver amamentando, faça o mesmo no bico do peito. Depois, passe uma gaze úmida para tirar o excesso do bicarbonato.
  • Limpar o sapinho com romã. Ferva uma xícara de água e acrescente cascas de meia romã, já com o fogo desligado. Em seguida use uma gaze molhada nesse chá para limpar a manchas brancas na boca do bebê. Faça o mesmo com o bico do peito.

O bicarbonato tem comprovadamente ação antifúngica agindo diretamente nas leveduras, facilitando que as placas se soltem com mais facilidade e, ao mesmo tempo, evitando que outras se formem.

A romã contém propriedades antissépticas e ajuda a enfraquecer e reduzir a carga de leveduras na boca do bebê.

Remédio para sapinho no bebê

  • Nistatina suspensão oral. A bula da nistatina (Micostatin®) recomenda 1 ou 2mL quatro vezes ao dia, para bebês até 1 ano. Ao mesmo tempo, bebês prematuro ou de baixo peso podem fazer uso de 1 mL da suspensão, também 4 vezes ao dia.
  • Miconazol gel oral. Na bula no miconazol (Daktarin®), deve-se aplicar uma pontinha de dedo na boca do bebê quatro vezes ao dia, após as refeições.

A aplicação do gel de miconazol pode ser feita com o auxílio de uma haste flexível recoberta com algodão (Cotonete®) ou de uma gaze enrolada no dedo indicador. Deve ser espalhada na parte interna da boca uma quantidade suficiente para cobrir toda a área afetada.

Sapinho em bebê recém-nascido

De acordo com Dr. Diego Limoeiro, dentista, é relativamente comum que bebês até 2 meses desenvolvam candidíase oral.

A doença atinge de 1 a cada 20 bebês antes do primeiro mês de vida.

Ao mesmo tempo, a  ocorrência é ainda maior em bebês prematuros.

O sapinho é causado por um fungo oportunista que se aproveita da fraqueza do sistema imunológico dos bebês para se instalarem e crescerem no trato digestivo.

Grande parte dos recém-nascidos, acabam desenvolvendo sapinho logo que chegam da maternidade, pois, tem logo o primeiro contato com o fungo durante o parto normal.

sapinho na boca do bebê
Creme gel oral com propriedades antifúngicas é ideal para o tratamento de sapinho na boca do bebê.

Considerações finais

A candidíase oral é a infecção fúngica oral mais comum em bebês e crianças. 


É comum nos bebês porque seus sistemas imunológicos ainda não amadureceram e, na maioria das vezes, eles são incapazes de resistir à infecção.

Geralmente não é grave, mas pode ser desconfortável e causar dificuldades na alimentação. 

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.