Adolescente coloca porquinho-da-índia no micro-ondas e posta vídeo. Veja o que pode acontecer se um animal for preso neste aparelho ligado.


A loucura cometida pela adolescente do Rio Grande do Sul ao colocar seu porquinho-da-índia no micro-ondas deixou as redes sociais de todo o mundo perplexos. Um ato de total burrice falta de informação. Ao que parece, a mocinha de 16 anos aproveitou a ausência dos pais para fazer um vídeo estúpido para chamar a tenção dos seus  seguidores, colocando seu bichinho de estimação por 5 segundos no micro-ondas fechado e ligado. A garota que foi virtualmente apedrejada, está muito assustada com as ameaças sofridas, segundo os pais.

Não é primeira vez que seres humanos fazem esse tipo de covardia. Em 2013 um libanês colocou seu gato no micro-ondas e publicou o vídeo no Youtube. O bichinho sobreviveu, mas sofreu graves queimaduras, principalmente nos órgãos internos. Ele foi expulso do Youtube e seu vídeo foi deletado. Em 2010, um homem do Reino Unido de 44 anos ficou 126 dias preso depois de colocar o gato do sobrinho por 8 segundos no micro-ondas e depois por 20 segundos no freezer. O gato teve sequelas neurológicas. Em 2014, uma mulher louca atordoada cozinhou o gato por 5 minutos no micro-ondas. O bicho ainda saiu vivo do aparelho, mas seus olhos secaram, toda a pele por baixo do pelo estava queimada e seu pulmão foi cozido. Obviamente, ele ficou vivo menos de um minuto. Fotos abaixo.

O gatinho morto no microondas teve os olhos cozidos, pele tostada e pulmão desidratado.

Diante de tanta atrocidade, nos sentimos obrigados a explicar o que poderia ter acontecido com o porquinho, bem como os gatos, colocados no micro-ondas em atos de covardia.

O que acontece com um animal no micro-ondas?

Segundo Esther Inglis-Arkell, do site io9, o micro-ondas libera um tipo de energia que faze as moléculas de água vibrem em velocidades muito altas, o que, por sua vez, gera o calor necessário para cozer a comida. Assim, ao colocar um animal (seja, gato ou porquinho-da-índia) no micro-ondas você estará o expondo a potências mais altas por um período mais reduzido (5 – 8 segundos), então os órgãos internos provavelmente não seriam cozidos durante o processo. No entanto, os olhos, que são na maioria compostos por líquidos poderiam sim serem cozidos.


Mas, de acordo com a veterinária Hwa Shi-Hsia, da Universidade de Wisconsin, a forma como as micro-ondas afetam um ser vivo, não tem muita diferença de um pedaço de carne morta. O animal iria cozinhar vivo. Se sobreviver pode sofrer queimaduras internas e externas horríveis. Além disso, com a desidratação cerebral, as sequelas neurológicas podem ser irreversíveis.

O porquinho-da-índia que passou por este trauma provavelmente teve queimadura nos olhos e na mucosa bucal e nasal.

Pai da adolescente pede desculpas nas redes sociais.
Fonte: bbc / megacurioso / super
Imagens: dailymail / opopular

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.