Menos meninos podem estar nascendo no Japão devido às severas mudanças climáticas

Um estudo publicado no jornal Fertility and Sterility, sob supervisão do Dr. Misao Fukuda, da M&K Health Institute, concluiu que devido às flutuações de temperatura ocorridas no Japão nos últimos tempos, coincidem com a diminuição do nascimento de homens no Japão.

O estudo abrangeu todo o período de 1968 a 2012, apontando as pesquisas, principalmente, em dois momentos específicos: o verão de 2010 (considerado o mais quente desde 1898) e o inverno de 2011. Ao mesmo tempo, os cientistas analisaram o número de abortos espontâneos e perdas de bebês até 12 semanas de gestação.

Os resultados mostraram que durante o intenso verão, houve um aumento no número de mortes fetais durante o mês de setembro. Nove meses depois, o país foi atingido por um declínio no número de bebês homens. O mesmo aconteceu no inverno de 2011 com abortos espontâneos e decréscimo de nascimento de bebês do sexo masculino, concordando que o crescimento demográfico feminino no Japão tem, sim uma justificativa.

shutterstock_144900295-640x426

Fukuda concluiu que essas flutuações de temperatura, parece ter uma relação com a com a desproporção entre homens e mulheres no Japão. A concepção masculina parece ter uma espécie de  vulnerabilidade a mudanças climáticas. No entanto, o autor reforça que é preciso estudar mais a fundo essas relações com o clima.

Fonte: themarysue/ibtimes/revistagalileu/livescience    Imagens: Reprodução/themarysuerevistagalileu
Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.