Por que, algumas vezes, nossas pálpebras parecem tremer involuntariamente?

Por que, algumas vezes, temos tremores involuntários nas pálpebras

Piscar os olhos é essencial para que a lágrima limpe nossa córnea e neutralize microrganismos que poderiam provocar infecções. No entanto, os espasmos das pálpebras (tremores nas pálpebras) não tem nada a ver com essa função. Apesar de ser um fato que aconteça com a maioria das pessoas, tais espasmos são tratados pela medicina como uma doença. O nome médico é  blefarospasmo, que significa, literalmente, “espasmo da pálpebra”.

O blefarospasmo é causado por uma contração involuntária do músculo orbiculares dos olhos, da mesma forma que acontece com as câimbras em outras partes do corpo. Tal tremedeira é, na verdade, resultado de uma falha na transmissão dos impulsos nervosos que chegam aos músculos ao redor dos olhos. Acredita-se que nos casos mais extremos, seja causado pelo funcionamento anormal dos gânglios basais. Tais gânglios são estruturas cerebrais profundas, envolvidas no controle dos movimentos. As principais causas são cansaço dos olhos, forte emoção, stress, consumo excessivo de cafeína entre outras.

Tremor das pálpebras pode ser perigoso

Eventualmente, a lubrificação insuficiente dos olhos também pode contribuir para a ocorrência destes tremores. Na maioria das vezes, afeta apenas um olho e costuma desaparecer sozinho em menos de um minuto. No entanto, em algumas situações, o blefarospasmo pode se tornar um caso sério. A pessoa pode piscar sem parar, a ponto de não enxergar, resultando em uma “cegueira funcional”. Nestes casos, a pessoa fica até incapacitada para atividades normais do dia-a-dia, como dirigir, ler, escrever, cozinhar etc.


Assim em casos graves, o problema tem sido considerado um tipo de distonia. A distonia é uma doença primordialmente identificada por espasmos musculares involuntários que produzem movimentos e posturas anormais. Assim como no olho, as distonias podem atingir qualquer parte do corpo e necessita de tratamento.

Na crendice popular, os espasmos das pálpebras tem sido tratado apenas como o sinal de que alguma coisa boa vai acontecer!

Fonte: Saúde.com.br

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.