Por que é preciso dar tapinhas nas costas dos bebês para arrotarem?


“Parabéns pelo trabalho no blog. É mesmo incrível. Minha dúvida é sobre bebês. Por que é preciso dar aqueles tapinhas nas costas do bebê para que eles arrotem? Isso é mesmo necessário? Janaína Figueiredo – BA

Os bebês em geral engolem ar à medida que mamam. Isso faz com que acumulem bolhas de ar que deixam seu bebê desconfortável. Para evitar esse problema, as mamães possuem a estratégia de fazer o bebê arrotar depois de cada mamada. O método é o mesmo a anos: coloca-se o bebê em uma posição ereta, dá se tapinhas nas costas e aí… BEEEERP!!!! Vem o arroto.

Mas por que estes tapinhas nas costas do bebê? Bem, entre o estômago e o esôfago possui uma espécie de válvula chamada esfíncter superior do esôfago. Esta válvula é muito importante, pois ela evita que o ácido do estômago atinja o esôfago, por isso, normalmente, só abre para deixar o alimento passar. No momento em que o alimento está passando pode acontecer que algumas bolhas de ar passem junto e isso causa um grande desconforto para o bebê (e para adultos também). O esfíncter pode “afrouxar” o suficiente para deixar que parte deste ar saia e esse processo é chamado de eructação. Vocês, eu e o todo mundo chamamos isso de arroto. Felizmente, os adultos possuem um controle do esfíncter e pode arrotar quando necessário, mas os bebês precisam de uma ajudinha.

Os tapinhas dados nas costas do bebê ajudam a mover as bolhas de ar o suficiente para tirá-las do estômago e do esôfago. Como o controle do esfíncter é bastante frágil nos bebês um pouco de comida pode ser carregada junto com o ar. É por isso que eles costumam regurgitar um pouco do leite (ou outro alimento) quando arrotam.

Mamare-MAI-bebes-arrotam_1
Os tapinhas dados nas costas do bebê ajudam a mover as bolhas de ar o suficiente para tirá-las do estômago e do esôfago.

——————————————–


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.