Por que a herpes labial vai e vem, mesmo com o tratamento adequado?


“Tenho herpes nos lábios direto… faço tratamento mas ela volta. Por que isso acontece?”  Anne

Anne, a herpes labial (ou Herpes Simplex) é uma doença infecciosa muito contagiosa, geralmente benigna, causada por vírus. Esse vírus tem uma característica de infectar causando lesão e destruição da células da pele e das mucosas da boca.


Quando ocorre esta infecção da mucosa, o vírus multiplica-se produzindo manchas vermelhas inflamatórias e bolhas dolorosas, desenvolvidas pela resposta destrutiva do nosso sistema imunológico. Aquelas bolhas contêm um líquido contaminado pelo vírus e a sua ruptura junto à mucosa de outro indivíduo é uma forma de transmissão. Ou seja, beijo na boca, usar copo (ou outro objeto com saliva) de alguém contaminado pode transmitir herpes. Contudo, essas lesões desaparecem e reaparecem sem deixar quaisquer marcas ou cicatrizes.

Mas se a herpes é um vírus, por que a doença vai vem? Boa pergunta: Na verdade, o que acontece é que geralmente o vírus da herpes invade os terminais dos neurônios dos nossos nervos sensitivos, infectando seus corpos celulares próximo ao cérebro. Quando o sistema imunológico elimina o vírus presentes na nossas mucosas, não consegue detectar a presença do vírus nos neurônios. Esse vírus (muito espertinho, por sinal) volta a ativar-se em períodos de debilidade, como stress, trauma, período menstrual, radiação solar em excesso, imunosupressão ou outras infecções. Ele migra pelo caminho inverso para a mucosa, e dando origem a novo episódio de herpes oral com exantemas, vesículas dolorosas e todos aqueles sintomas característicos.

herpes-labial-tratamentos-para-esta-doenca
Os intervalos entre as recaídas são de espaçamento variado, acredita-se que estes vírus permaneçam em nosso organismo por toda a vida. Porém, geralmente sua transmissão só ocorre diante da presença das bolhas.

Fonte: wikipedia, herpes.com, HowStuffWorks


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.