Comportamento

“O que eu vim fazer aqui mesmo?” Entenda porque você sofre de esquecimento repentino



Abrir a porta da geladeira e ficar parado diante dela sem saber porque a abriu. O cientista cognitivo Dr Tom Stafford chama o esquecimento repentino de “efeito porta”. É como se você tivesse que lembrar se fechou a porta de casa direito, mas na verdade não sabe (não lembra) nem como chegou até ao trabalho dirigindo. Isso é muito comum e acontece com todos nós.

A impressão que dá é que quando saímos de um ambiente para outro, ao atravessar a porta, esquecemos o que ficou para trás. Mas os especialistas dizem que é exatamente isso: atravessar uma porta faz você esquecer coisas. De acordo com Dr Stafford, especialista em lapsos de memória, o “efeito porta” acontece quando deixamos de prestar atenção nos detalhes, nas pequenas partes, e mentalizamos o objetivo completo.  O efeito porta revela algumas características importantes de como nossa mente é organizada.


Em 2011, psicólogos da Universidade de Notre Dame estudaram o “efeito porta” e concluíram que o cérebro automaticamente divide um plano grande em pequenas etapas. Se uma dessas etapas se perde ou se confunde, o fluxo é afetado. Por exemplo, abrir a geladeira para apanhar o tomate que vai ser cortado para compor o molho da massa que ainda nem cozinhou. Quanto mais etapas para concluir, mais chances de esquecê-las.

forget-update-linkedin-profile

Uma pesquisa do Dr. Gabriel Radvansky em 2006 construiu modelos situacionais do ambiente a nossa volta. Estes modelos são geralmente vagos, pois porque podemos experimentar novas informações do ambiente a qualquer momento que precisar de mais detalhes. Quando entramos em um novo ambiente, construímos um novo modelo situacional, que apaga o modelo antigo. Modelos situacionais incluiria não apenas informações vagas sobre o ambiente, mas também algumas informações sobre o que você estava carregando e fazendo. Assim, entrando em um novo ambiente a informação anterior se apaga, ou seja, você atravessa a porta do esquecimento.

Pode parecer uma coisa banal, mas esta estratégia do cérebro ajuda a manter a mente limpa para as situações que estamos prestes a viver.

Fonte: forbespsychologytodaybbc/
   Imagens: Reprodução/careerealism/ theallium
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.