Curiosidades

Banana e kiwi vão te ajudar a entender como ocorre a Cirurgia de “Troca de Sexo”

Como é feita a Cirurgia de Redesignação Sexual (troca de sexo)?

Em seres humanos, a Cirurgia de Redesignação Sexual (CRS) é o termo para os procedimentos cirúrgicos pelos quais a aparência física de uma pessoa e a função de suas características sexuais são mudadas para aquelas do sexo oposto. É parte do tratamento para a desordem do transtorno de identidade para transgêneros. Neste texto, banana e kiwi vão te ajudar a entender como é feita a Cirurgia vulgarmente conhecida como Cirurgia de ” troca de sexo “.

No Brasil, a primeira CRS do país foi realizada em 1971 pelo cirurgião Roberto Farina. A polêmica gerada pelo caso o levou a ser condenado de “lesões corporais” pelo Conselho Federal de Medicina. Até 1997, cirurgias de mudança de sexo eram proibidas no Brasil. Pessoas que desejassem passar pela mesma eram obrigadas a recorrer a clínicas clandestinas ou, mais freqüentemente, a médicos no exterior. Neste ano, casos confirmados de transexualismo puderam passar a se beneficiar da mesma com a aprovação pelo Conselho Federal de Medicina.




Mulher para homem

Nesta técnica desmonta-se o pênis original  e usam-se as mesmas peças para construir novas estruturas. Com anestesia geral o paciente recebe uma incisão que contorna todo o saco escrotal e o pênis – cuidando para não atingir o aparelho urinário, que será adaptado para que o paciente possa urinar sentado. No final, o corte vai se transformar em uma vagina com profundidade de 12 a 15 centímetros.

Os testículos então, são retirados, para evitar a produção de hormônios masculinos. O tecido cavernoso do pênis também sai, restando apenas a glande, presa por um pequeno fio de tecido nervoso, antes responsável pela ereção. Então, a pele do pênis cobre o canal vaginal dando mais sensibilidade ao órgãos. A glande vira uma espécie de clitóris. Se essa parte da cirurgia for concluída com sucesso, a nova mulher poderá sentir prazer durante a relação.

Como é feita a Cirurgia de Redesignação Sexual (troca de sexo)?O prepúcio e o escroto formam os lábios vaginais, e preciso usar com frequência um alargador para que cicatrize corretamente. Segundo o Dr. Preecha Tiewtranon, o tailandês considerado o melhor no ramo diz que o alargador só precisa ser usado 20 minutos por dia, durante algum tempo.



Homem para mulher

Este processo costuma ser mais complexo que o anterior. Antes da cirurgia, a paciente tem que tomar diariamente cerca de 200 mg de testosterona. os resultados são: fim da menstruação, voz mais grave, mais massa muscular, às vezes calvície, mais pelos no corpo e o desenvolvimento do clitóris. Comos abemos, o clitoris tem a mesma origem embrionária do pênis, só que um cresce e o outro não.

Quando o clitóris alcança 6 cm, chega o momento da cirurgia. Ele “despregado” do púbis para que possa ter automina de movimento.  A uretra é aumentada com tecido extraído da antiga vagina.  Os testículos são formados com o tecido dos grandes lábios vaginais, que passarão a envolver duas próteses esféricas de silicone. Fica bem parecido com um testículo verdadeiro.



Quanto ao “neopênis”, o resultado é mais psicológico, pois além de minúsculo, quase nao serve para penetração.

Como é feita a Cirurgia de Redesignação Sexual (troca de sexo)?

 

Superinteressante:

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo