Por que algumas pessoas tem cabelos crespos e outras lisos?


“Meu cabelo é super liso… Mas minha irmã tem cabelo crespo, anelado… e muito fraco. Somos irmãs, como podemos ter cabelos tão diferentes?” Luciana Gaus

Lú, não tente entender a genética dos cabelos, pois é um assunto bastante complexo. Aqui, posso te dizer apenas que o cabelo é crespo ou liso, dependendo do número de pontes dissulfeto entre as proteínas encontradas no eixo do cabelo. Quanto maior o número dessas ligações, mais crespos os cabelos serão, e quanto menos ligações, mais lisos!


Nosso cabelo é composto principalmente de queratina, uma proteína, que cresce a partir de uma espécie de “bolsa” chamada folículo piloso. As células deste folículo são capazes de produzir queratina, e várias outras proteínas, que se tornam o fio de cabelo. Estas proteínas possuem átomos de enxofre, e quando dois destes dois átomos de enxofre se juntam, eles formam uma ligação de dissulfeto. Se os dois átomos de enxofre na mesma proteína estiver perto um do outro a proteína irá dobrar para formar a ligação dissulfeto. Assim, como já foi dito, quanto mais ligações mais átomos de enxofre estarão próximos um dos outros “doidinhos” para se dobrar para formas as pontes de dissulfeto.

Além disso, um estudo realizado por cientistas da L’Oreal descobriu diferenças estruturais na distribuição da queratina no duto capilar, atribuindo a ela parte da influência sobre o formato do folículo capilar no bulbo antes da saída do fio. Em cabelos enrolados, segundo o estudo, mais queratina se acumulava no lado côncavo da curva, enquanto no cabelo liso, as células de queratina estavam distribuídas igualmente. Quando o cabelo está sendo formado, ele parece ter uma “memória” do bulbo reto (para cabelos lisos) ou em formato de gancho (para os anelados).

As pontes de dissulfeto podem ser rompidas e um cabelo crespo pode se tornar liso, temporariamente, através de ação química ( alisamentos) ou física (aquecimento por secador, por exemplo).

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.