Animais

Como assim? Uma água viva que nunca morre?

Como assim? Uma água viva que nunca morre?
Esse texto foi útil para você?

“Sou leitor assíduo do Diário de Biologia, parabéns pelo excelente trabalho que você faz. Num dia desses eu estava lendo na internet sobre um animal imortal, a água-viva Turritopsis nutricula, é verdade que ela nunca morre? Como funciona esse mecanismo?” Luiz Antônio Bueno




Pois é Luiz, teoricamente este hidrozoário (Turritopsis nutricula) quando chega a “velhice” passa por diversos processos de rejuvenescimento e volta a forma jovem. Para nós esse mecanismo parece muito estranho. Imaginar que exista um “ser eterno”! O ciclo de vida de um hidrozoário inclui a forma assexuada de pólipo (uma forma que fica fixa no substrato) e estado sexual de medusa (uma forma livre).Mas é importante saber que  alguns hidrozoários marinhos não formam uma medusa livre, enquanto noutros hidrozoários ocorre somente a forma de medusa e não passam pela forma de pólipo.

O caso da Turritopsis nutricula é típico, ou seja, ela tem a fase de ovo que após o desenvolvimento, dá origem a uma larva ciliada, que por sua vez, sai a procura de um bom substrato para se fixar. Fixada, a larva se transforma em um pólipo (considerada uma fase jovem) que é como uma pequena árvore que se reproduz assexuadamente, formando nas suas extremidades, pequenas medusinhas. Maduras, as medusas se desprendem e saem em busca de alimento e um parceiro para reprodução (esses animais se reproduzem assexuadamente e sexuadamente). De fato, o normal seria que a medusa morresse após se reproduzir, mas com a Turritopsis nutricula isso não acontece!

Chegando à fase adulta reprodutiva, a Turritopsis nutricula pode reverter seu processo de envelhecimento. Normalmente este mecanismo se ativa em presença de stress (mudanças de temperatura, salinidade, O2, e etc.). Os processos de reversão, chamados também de transdiferenciação, vem sendo estudados por geneticistas no mundo inteiro. Transdiferenciação celular em biologia é o processo pelo qual um tipo de célula diferenciada é trocada por outro tipo de célula diferente em forma e função. Durante esta reversão, ocorre uma reorganização celular através de diversas apoptoses (morte programada das células). Diferenciadas, as células retornam ao seu estágio inicial (como nossas células tronco) e então, dão origem aos pólipos, considerados uma fase jovem inicial.



alvaro-migotto-turritopsis-nutricula

Chegando à fase adulta reprodutiva, a Turritopsis nutricula pode reverter seu processo de envelhecimento.

Mas é verdade que ela nunca morre? Bem, como já dito, não é bem assim… O processo de rejuvenescimento só ocorre quando a medusa atinge a maturação sexual, mas devido ao stress do ambiente, não consegue se reproduzir. Para não perder sua “vinda ao mundo”, ela reverte sua fase para fazer outra tentativa. Parece loucura, mas na verdade, através destes processos todos a Turritopsis nutricula tem sido considerada uma “água viva imortal”, pois podem reverter suas fases de vida sempre que necessário. Por causa desta habilidade mágica, a Turritopsis nutricula tem espalhado pelos mares de todo o mundo numa explosão populacional.



Turritopsis_Nutricula

O processo de rejuvenescimento só ocorre quando a medusa atinge a maturação sexual, mas devido ao stress do ambiente, não consegue se reproduzir.

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


5 comentários

5 Comments

  1. Júlio César

    em

    Água viva imortal? Me dá 1Kg de dinamite que eu vou mostrar que ela morre facinho na minha mão. Ótimo blog, ótimos textos, ótimo tudo Karla!

    • Júlio, não é que vc tem razão? Mas eu quis dizer que ela não morre de “velhice”, mas com dinamite, com certeza! kkkkk

    • Joao

      em

      só tem palhaço mesmo hein. Uma reportagem tão interessante e o cara vem com papo de dinamite.

  2. Janie

    em

    Aí está um grande estudo para os cientistas. Quem sabe reverteria muitas doenças degenerativas no ser humano. Janie

  3. Lívia

    em

    Os pólipos morrem ou deixam de existir de alguma forma? Ou ele fica eternamente se reproduzindo assexuadamente? O que eu quero dizer é… O pólipo cresce e faz várias meduzas crescerem, então ele fica sempre fazendo isso? E ele não morre? Se isso for verdade é realmente preocupante, pois aguas vivas e meduzas são venenosas, e se não tiver nenhum predador, isso significa que a tendência das mesmas é continuar se multiplicando de uma forma absurdamente rápida, sem nada para ter controle de sua população, e pode se tornar uma grande ameaça tanto ás outras espécies quanto para o homem futuramente.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo