Anomalias e doenças

De médico e de louco, todo mundo tem um pouco? O tratamento para a esquizofrenia pode estar no seu prato!

Desde os primórdios da história humana são relatados casos de loucura, de pessoas que possuem outro senso de realidade, que tenham alucinações. O louco sempre foi considerado um sujeito que está fora dos padrões estabelecidos socialmente, sendo que no período medieval era considerado um místico, e após o século XVII passou a ser aquele que não possui a razão, o anormal. Inúmeros manicômios foram criados em busca de restabelecer o controle dessas pessoas, e recentemente, em um processo de intensa medicalização, fortes drogas são administradas para quadros de doenças mentais, como a esquizofrenia.

Esquizofrenia é considerada uma doença psiquiátrica, em que o paciente perde a noção da realidade, podendo apresentar um quadro de apatia emocional, faltando-lhe vontade para a realização de tarefas simples, acompanhada de uma intensa sensação de perseguição (a pessoa acredita fortemente que estão conspirando contra sua vida), ou então o quadro pode ser de alucinações e delírios (como ouvir vozes). Acometendo cerca de 1% da população, tanto em homens (por volta dos 25 anos), quanto em mulheres (por volta dos 30 anos), a doença possui componentes genéticos, mas também fatores ambientais, que influenciam em seu desenvolvimento (para saber mais, clique aqui).


O tratamento da esquizofrenia é realizado com antipsicóticos, e quanto mais cedo o diagnóstico, mais fácil será impedir sua evolução. Inclusive, estudos chamados “Intervenção Precoce” tem defendido que o tratamento se inicie antes da manifestação completa da doença. Dentre esses estudos, uma nova pesquisa aponta uma alternativa aos medicamentos tradicionais, que causam diversos efeitos colaterais. Trata-se da utilização do Ômega 3, um tipo de gordura encontrado em alimentos como óleo de peixes, óleos vegetais, ovos, nozes, dentre outros, benéfica a saúde humana. Sendo considerado um componente essencial, e como o corpo humano não produz tal substância, o Ômega 3 deve ser ingerido diariamente, pois possui atividade anti- inflamatória, traz benefícios ao sistema circulatório, além de reduzir a possibilidade de declínio mental, problemas com asma, artrite, diabetes, dentre outros.

esseker

Mas como agiria o Ômega 3 na prevenção da esquizofrenia?

Bem, pessoas com a doença possuem elevadas quantidades de substâncias químicas inflamatórias em seu corpo e baixos níveis de Ômega 3 no sangue. Apesar de ainda necessitar de maior aprofundamento para comprovações, pesquisadores sugerem que esse componente possa prevenir as inflamações, e assim colaborar na luta contra o desenvolvimento da esquizofrenia. Uma boa notícia para o tratamento de uma doença tão terrível, não é? Ainda mais porque sabemos que a medicação, por mais que pareça a única saída, causa diversos transtornos e efeitos colaterais. Sendo algo cada vez mais frequente, o uso de remédios tem preocupado por vários fatores: Será que é sempre necessário medicar? Até que ponto a pessoa realmente é louca ou apenas desvia do que é considerado como normalidade socialmente falando? Em todo caso, o tratamento pode estar em seu prato, então, porque não prevenir-se comendo bem?

postEsquizofrenia

 

Fontes:  drauziovarella/senado/ufrgs/livescience Imagens: abp/ jornalggn/danizudo

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo