Iogurtes, biscoitos, sorvetes, sucos de caixinha: sabia que você anda comendo corante alimentício feito com insetos triturados?


A entomofagia se refere a alimentação à base de insetos, uma prática muito comum nos países asiáticos e que mesmo apresentando diversas vantagens nutricionais, a maioria das pessoas costumam rejeitar essa ideia por a considerarem nojenta. Mas e se eu te contasse que essa realidade não está tão distante assim do nosso dia a dia?

Como já foi abordado em um outro texto daqui do Diário de Biologia, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) permite a presença de matérias estranhas (ingredientes que não façam parte do produto), ou seja, por mais que durante a fabricação e manipulação do produto exista o máximo cuidado, é muito provável que ainda assim exista algum vestígio de um inseto, por exemplo, e tanto eu quanto você estamos consumindo sem nem ao menos notar.


Mas, vamos partir para o assunto de corantes naturais. A cochonilha é um inseto considerado como uma praga de jardim que apresenta a cor branca. Dela é extraído o corante carmim, a partir de um processo com o corpo seco da fêmea. Esse corante é considerado natural por ser retirado de um inseto (Dactylopius coccus). Dos produtos que utilizamos diariamente podemos incluir alimentos (iogurte, biscoito, sorvete), tintas, roupas e cosméticos.

O corante cochonilha é conhecido e utilizado desde a antiguidade clássica, tendo sido também utilizado pelas civilizações asteca e maia. Ainda que muitos consumidores não saibam que a expressão “corante natural” se refere à tinta derivada deste inseto, ou pelo menos ao vermelho-escuro deste. O corante não é tóxico ou cancerígeno como muitos outros corantes vermelhos artificiais. No entanto, há evidências de que uma pequena porcentagem de pessoas, quando exposta à cochonilha, possa ter uma reação de choque anafilático.

Fontes: vestr/oglobo/super/jorniencia    Imagens: super/avegetaria

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.