Chineses encontram tumba com 500 cavalos que foram enterrados vivos há 2500 anos


A cidade de Zibo na Província de Shandong, no leste da China se prepara para restaurar uma tumba recentemente encontrada no local onde 500 cavalos foram enterrados vivos há 25 séculos. Segundo a agência oficial Xinhua, os cavalos pertencem ao túmulo de Qi Jinggong, imperador do período da Primavera e Inverno (séculos VIII a V antes de Cristo).

Segundo informações dos arqueólogos a maioria dos cavalos estavam com idades entre seis a sete quando eles foram enterrados, a fim de “acompanhar” o imperador na sua partida do mundo físico. Segundo as tradições funerárias da antiguidade chinesa, após a morte de um Imperador, os seus cavalos deviam acompanhá-lo na viagem para o além.

Agora, o governo está investindo cerca de 11 milhões de dólares na restauração dos restos mortais dos animais afim de fazer uma curiosa exposição para visitação do público. O projeto deve demorar de 3 a 5 anos para ser concluído.

A descoberta fornece informações valiosas no que diz respeito à história, economia, militar e enterros da China antiga.

Os animais tinham entre 6 e 7 anos.
Os animais tinham entre 6 e 7 anos.
Fonte: china.orgzap.aeio  
 Imagens: Reprodução/ china.orgzap.aeio

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.