O FBI agora irá considerar maus tratos a animais como crimes graves

Através de uma parceria entre a agência americana e o Animal Welfare Institute, ficou decidido que, desde fevereiro de 2016 o FBI  (Agência Federal de Investigação) passou a investigar maus tratos contra animais. O governo americano acredita que a crueldade contra os animais é um indicador de violência criminosa.

Os crimes serão divididos em categorias como maus tratos e abuso sexual de animais. “O FBI passará a investigar crimes contra os animais da mesma forma como investiga crimes de ódio e de outras categorias importantes”, anunciou Wayne Pacelle, presidente da Humane Society of the United States.

Assim como as crianças e os idosos, os animais enquadram nas características dos alvos prediletos de psicopatas. Existem registros de animais que foram incendiados ou enterrados vivos, espancados até a morte, enforcados, torturados, envenenados ou mortos por injeção letal. Os especialistas do FBI alertam que cerca de 80% dos psicopatas começam seus crimes matando animais. Por isso, em países como Estados Unidos e Inglaterra, os matadores de animais já são tratados e julgados de forma diferenciada que vai muito além do crime de maus-tratos a animais.

maus-tratos

Por essas razões, a partir de agora, os atos de crueldade relacionados a animais farão parte da base de dados National Incident-Based Reporting System (NIBRS), utilizada por várias agências do país e pelo próprio FBI. “Nunca mais os casos de extrema violência serão incluídos na categoria de ‘outros crimes’ só porque as vítimas são animais”, disse Wayne Pacelle em nota.

Fonte: dogtimerevistagalileu  Imagens: Reprodução/smileshappen/aquariuslife
Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.