Pareidolia: Você enxerga coisas onde não existem?


Quem nunca enxergou um animal formado pelas nuvens? Quem nunca viu uma pipoca com formato de alguma coisa? E quando uma rocha parece ter um rosto?

Nosso cérebro é capaz de criar imagens onde elas não existem, pode ver diversas formas em objetos e lugares. Este fenômeno é chamado de pareidolia, o que envolve um estímulo vago e aleatório, geralmente uma imagem ou som, sendo percebido como algo distinto e com significado. Com sons, geralmente a pareidolia surge em músicas tocadas ao contrário, que parecem dizer algo. O cérebro consegue entender palavras que na verdade não foram ditas, mensagens que não existem. São frases ou palavras onde só há um ruído incoerente.

 A pareidolia ativa nosso cérebro, desperta nossos sentidos. É um capacidade natural de nosso cérebro onde, com estímulos visuais ou sonoros, enxergam ou criam um sentido para algo abstrato que se encaixe nos padrões criados pelo cérebro. Enxergar rostos é a pareidolia mais comum para o ser humano. Assim que o bebê nasce e conhece a face humana, a posição dos olhos, nariz e boca, o cérebro já fica condicionado a reconhecer rostos em todo abstrato tenha alguns traços que se encaixam no padrão de um rosto humano.

 A crença humana é uma grande vítima da pareidolia. São manchas que parecem imagens de santos, um embaçado no vidro que lembra um fantasma. Quando não somos capazes de identificar algo, a imagem recebida já coloca o cérebro em alerta para que ele comece a recriar os padrões da imagem e rapidamente você já pensa: “Aquilo não parece o rosto do Raul Seixas?” E pronto. Para você aquela mancha na parede sempre será o rosto de Raul Seixas e vai ser difícil convencer o cérebro em ver aquela “imagem de Raul Seixas” como se fosse apenas uma imagem abstrata.

pareidolia02

pareidolia01

pareidolia04

pareidolia05


pareidolia06

pareidolia03

 Fonte: Wikipedia e Super Natural


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.