Vídeo incrível: momento em que uma baleia morta explode


Quando as baleias morrem e são trazidas para nossas praias, se livrar de suas carcaças não é um tarefa tão simples como parece. Por causa do seu tamanho gigantesco o animal geralmente é cortado em pedaços menores, o que facilita que sejam enterrados. Este processo pode ser dificultado quando o animal está em certo grau de decomposição, pois no momento em que está sendo cortado pode explodir literalmente!

Isso acontece porque assim que morre está inicia o processo de decomposição, seus órgãos internos e todo seu conteúdo estomacal e intestinal começam a apodrecer, as bactérias então ficam muito mais ativas e se reproduzindo muito mais diante das boas condições da carcaça. A ação das bactérias gera calor e gases acumulam causando uma enorme pressão interna na baleia. Quando os biólogos começam a cortar a baleia é possível que ela exploda levando órgãos internos apodrecidos para fora. Metano, amônia e sulfeto de hidrogênio são os gases formados com este fenômeno que formam uma combinação com o cheiro insuportável.

O vídeo abaixo mostra como pode acontecer o fenômeno!

 Fonte: I Fucking Love Science

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.