Comportamento

Você vai se surpreender: por uma questão sexual, os homens devem ou não raspar os pelos das axilas?

O que antes era exclusivo de atletas, agora virou “modinha” entre os homens. Muitos gostam de ter seus pelos na região, mas acabam sendo influenciados a rasparem para acompanhar a tendência. Uma função importante dos pelos das axilas é a de diminuir o atrito local agindo como um “anti-fricção natural” entre o braço e o tórax. As mechas das axilas naturalmente mantêm a umidade longe da pele, o que ajuda a deixar a pele seca o suficiente para prevenir a colonização por bactérias produtoras de odor.

Há, no entanto, a questão evolutiva relacionada a reprodução. Segundo especialistas o que relaciona os pelos do sovaco com a sexualidade é a liberação de hormônios na axila onde os folículos pilosos têm um tipo de glândula sudorípara associada – a glândula apócrina – que começa a funcionar na puberdade junto com a comunicação química dos feromônios. Os odores provocam de certa forma estímulos olfativos nos mamíferos e, em consequência, a intensificação da sexual causada pela libertação de feromônios indicam sua importância para os seres humanos.


Os parágrafos anteriores te levarão a pensar que, então, os homens que hoje optam por raspar as axilas estão de alguma forma atrapalhando o interesse sexual das mulheres em relação ao cheiro. Mas a coisa não tem funcionado dessa forma pelo menos foi o que um estudo publicado no Journal Behavioral Ecology and Sociobiology.  Segundo os pesquisadores, na batalha entre natureza e cultura, a cultura ganhou por pouco.

Para chegar ao resultado, participantes do sexo masculino depilaram uma axila e deixaram a outra crescer normalmente, passaram todo o tempo sem usar qualquer tipo de inibidor de cheiro (desodorantes). Em seguida, os pesquisadores coletaram amostras de odor de cada uma das axilas e deram para um grupo de mulheres avaliarem quão atraentes elas achavam os odores. Sem saber se cada estava ou não com as axilas depiladas, as mulheres do estudo acharam o cheiro de axilas raspadas mais agradáveis do que as axilas que estavam crescendo pelo por seis a dez semanas, mas não conseguiram distinguir entre o cheiro das axilas que tinham uma semana de crescimento de pelos e as axilas que tinham de seis a dez semanas de crescimento de pelo.

Parece que agora, homem ter ou não axila raspada, não faz mais diferença.

Isso cria um nó na questão natural e na função evolutiva, pois as evidências que sugerem fortemente que axilas peludas evoluíram especificamente para fazer as pessoas cheirarem mais atraentes. Como já dito, a axila evoluiu para reter produtos químicos que são produzidos pelas glândulas locais, de modo a intensificar o odor natural das pessoas e aumentar a chance dos outros sentirem o cheiro. É, portanto, contraditório que as mulheres prefiram o cheiro menos intenso de axilas sem pelo.

A conclusão foi que, hoje, as mulheres sexualmente falando, preferem os homens que tem menos “cheiro natural de homem”. Lembrando que, em momento algum as mulheres que participaram do estudo estavam cientes se as axilas eram ou não raspadas, pois esteticamente, a maioria delas preferem que os homens mantenham sua masculinidade deixando os pelos das axilas crescerem e aparando eventualmente com a tesoura.

Fontes: livescience/ diariodebiologia


Imagens: Reprodução/surf100comentarios / modaalfa
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.