Alimentação

Bebidas que diminuem o pH do sangue, como como refrigerantes e sucos ácidos, podem mesmo aumentar as chances de câncer?





“Tomar refrigerante ou suco ácido diminui o pH do sangue e aumenta a chance de câncer?” (Mariana Ruske)

Olá Mariana! Seu questionamento leva a comunidade científica ao delírio. Isso porque muitos pesquisadores ainda discutem essa relação da alimentação com a regulação do Ph sanguíneo humano. Alguns levam em consideração a quantidade de alimentos com uma grande quantidade de ácido e outros atribuem que alimentos processados pela indústria, como carnes em conservas e refrigerantes são capazes de alterar o pH sanguíneo. Porém, os estudos dessa relação ainda são considerados iniciais, tendo em vista que o nosso corpo possui mecanismos que regulam esse pH e por isso seria necessária uma quantidade “gigante” de acidez para que esse pH fosse alterado significativamente.


O Ph normal do sangue está numa faixa entre 7,35 a 7,45, ou seja, o nosso sangue é levemente alcalino. Isso é necessário para que os processos metabólicos funcionem corretamente e a quantidade de oxigênio seja liberada corretamente nos tecidos. Existe um processo chamado de Acidose que é um excesso de ácido no sangue, com o pH abaixo de 7,35 e outro processo chamado de Alcalose que é o excesso de base no sangue, com o pH acima de 7,45. Para que o pH sanguíneo seja alterado desta forma é necessário que alguns distúrbios funcionais ocorram nesse organismo, como por exemplo, pessoas com problemas nos pulmões e rins, que são os principais órgãos responsáveis pela regulação do pH no sangue.

De acordo com João Gabriel Marques, nutricionista e mestre em Nutrição Humana pela Universidade de Brasília, nenhum alimento rico em ácidos por si só é capaz de alterar o pH sanguíneo, isso porque o nosso corpo tem um sistema chamado de tampão, ou seja, um sistema que faz a regulação desse pH “esvaziando” a presença ácida em excesso no sangue ou mesmo o contrário, “esvaziando” a presença alcalina em excesso no sangue. Essa regulação é diária em nosso organismo e permite deixá-lo em equilíbrio sempre. Para que ocorra algum desequilíbrio seria necessário que algum dos contribuintes desta regulação não trabalhe corretamente, como a hemoglobina presente nas hemácias e pelo bicarbonato circulante que mantém a homeostase do pH sanguíneo através da neutralização do gás carbônico. O que pode ocorrer em alguns casos seria apenas uma variação do pH, ou seja, o pH variar dentro da faixa de equilíbrio, apenas isso.

Além disso, temos o pulmão que pode aumentar ou diminuir a excreção de gás carbônico, através da respiração, e os rins que podem excretar metabólitos ácidos e também na produção e reabsorção de bicarbonato, ou seja, tudo isso para que o pH do sangue não seja alterado e seja mantido na faixa de equilíbrio. Por isso, para que um refrigerante ou suco ácido ou qualquer outro alimento ácido possa alterar significativamente o pH sanguíneo seria necessário uma quantidade extremamente alta e quando digo alta falo de doses altamente tóxicas ao organismo humano de uma única vez, ou seja, uma quantidade que nossos órgãos não pudessem realizar o processamento ou que comprometa sua capacidade de funcionamento.

Em relação ao câncer ainda há muito que estudar e discutir, pois já sabemos que é necessária uma alimentação equilibrada para manter uma vida saudável. Alimentos processados e refrigerantes que apresentam muitos conservantes e corantes, além de quantidade excessiva de sal e açúcar, não contribuem para uma vida equilibrada, além dos prejuízos significativos em vários órgãos causando doenças crônicas como diabetes e hipertensão, além da osteoporose no caso de refrigerantes. Por isso, uma alimentação ruim com certeza contribui e aumenta as chances de um possível câncer.

Fontes: cienciadanutricao / labtestsonline
Artigos: Bischoff WD, et al. / Tobey JA.  / Ball D, et al.
Imagens: Reprodução/revistacrescer / fatosdesconhecidos
Comentários

Novidades

Topo