Animais

Tragédia para o ecossistema: Contaminação humana está levando os urubus à extinção





16 das 22 espécies de urubus correm o risco de desaparecer de vez. Essa notícia, não causará muita comoção das pessoas, pois essa ave, apesar da sua importância, é pouco popular em todo mundo. A situação é crítica e merece atenção de todos nós, pois hoje, esse é o grupo de aves mais ameaçado de sumir de vez.  Das 22 espécies dessa lúgubre ave, 4 estão quase ameaçadas de extinção, 3 estão ameaçadas e 9, em situação crítica.

Pesquisadores da Universidade de Utah, nos EUA, resolveram fazer um estudo mais concentrado no sumiço dos urubus, com o objetivo de entender as razões da crise. Na verdade, os ornitólogos ecologistas já vinham incomodados com a desaparição dos urubus, uma vez que, outras aves que se alimentam de carniça estão muito bem obrigado: sua população tem aumentado, principalmente devido aos desequilíbrios motivados pelos humanos.


O estudo concluiu que aquelas aves que são “carniceiros opcionais” (corvos, cegonhas e gaivotas) estão se dando bem, pois são onívoros e possuem uma dieta diversa. No entanto, as aves “carniceiras obrigatórias” (urubus) vão mal, pois se alimentam exclusivamente de carcaças.

Mas o que está de fato acontecendo com os urubus?

A situação é bem mais difícil do que se pode imaginar. Com a dieta exclusivamente saprófaga, os urubus estão ingerindo doses extremamente altas de medicamentos e venenos dados por humanos a outros animais.

Segundo o estudo, a droga veterinária diclofenac, um anti-inflamatório bovino causador de problemas hepáticos em aves, quando elas se alimentam de gado contaminado. Não é só isso. Centenas de urubus morrem todos os dias por comerem hienas e leões envenenados por criadores de gado, e por intoxicação por inseticidas, raticidas e chumbo de munição.

Apesar da impopularidade do bicho, sua extinção seria uma tragédia para os ecossistemas.

Apesar da impopularidade do bicho, sua extinção seria uma tragédia para os ecossistemas.

E daí? Quem se importa com essas aves “nojentas”?

Todos devem estar seriamente preocupados com a extinção dos urubus em todo o mundo. A redução brusca na população desta ave tem resultado em um aumento populacional de outros animais, como ratos e cães selvagens, que gostam de provar carne morta de vez enquanto. Diferente dos urubus, esses animais não possuem estômagos especializados em combater micróbios letais. Caso os urubus desapareçam, encararíamos pragas e epidemias em todo mundo.

Fonte: super.abril / sciencedirect
   Imagens: Reprodução/g1.globo.noticias.uol./
Comentários

Novidades

Topo