Após transplante inédito do órgão genital, homem consegue engravidar companheira

A circuncisão ainda é uma prática comum em algumas regiões da África do Sul, ela é realizada entre a adolescência e a idade adulta. É um ritual de passagem no qual um menino torna-se homem. Esse procedimento consiste na retirada do prepúcio (um pedaço de pele que fica na extremidade do órgão sexual masculino). O problema é que esse ritual é realizado com técnicas rudimentares e, muitas vezes, o resultado é ruim: muitos jovens acabam mutilados ou morrem.

Foi o que aconteceu com um jovem africano cuja identidade não foi revelada. Quando tinha 18 anos, uma circuncisão mal feita decepou seu órgão, deixando-o com apenas um centímetro.

Sabendo dos vários casos em que homens perderam o pênis, seja por acidentes ou circuncisões mal feitas, seja por doenças, uma equipe de cirurgiões da Universidade Stellenbosch e do hospital Tygerberg, na África do Sul, estudaram como realizar o transplante de pênis. A cirurgia é complicada e envolve a reconstrução da uretra e dos corpos cavernosos, além da conexão de pequenos vasos sanguíneos com apenas 1,5mm de diâmetro.

A questão ética do procedimento foi intensamente discutida. O paciente foi avisado que haveria riscos, como a rejeição do novo órgão e a necessidade de fazer uso de medicamentos pelo resto da vida. Apesar de um homem poder sobreviver sem sua genitália, a falta do órgão acaba levando muitos à depressão e ao suicídio. Contudo, o receptor pode não aceitar o novo órgão como parte de seu corpo. Isso já aconteceu com um chinês que pediu para os médicos desfazerem a cirurgia pois ele e a esposa rejeitaram psicologicamente o órgão.

interna
Para a alegria dos médicos (e do jovem) tudo ocorreu conforme planejado e a cirurgia foi bem sucedida. O órgão não foi rejeitado e apresentou funcionamento normal! Três meses depois do transplante, o jovem conseguiu engravidar sua companheira. Foto: Reprodução/

O transplante foi realizado em dezembro de 2014 e durou nove horas. O jovem de 21 anos recebeu o pênis de um doador que havia falecido. Para a alegria dos médicos (e do jovem) tudo ocorreu conforme planejado e a cirurgia foi bem sucedida. O órgão não foi rejeitado e apresentou funcionamento normal! Três meses depois do transplante, o jovem conseguiu engravidar sua companheira.

O cirurgião, Andre Van der Merwe, disse estar satisfeito com o resultado e impressionado com a rápida recuperação do paciente. O programa conta hoje com mais nove pacientes.

O cirurgião, Andre Van der Merwe, disse estar satisfeito com o resultado e impressionado com a rápida recuperação do paciente. O programa conta hoje com mais nove pacientes. Foto: Reprodução/picturesofbabies
O cirurgião, Andre Van der Merwe, disse estar satisfeito com o resultado e impressionado com a rápida recuperação do paciente. O programa conta hoje com mais nove pacientes. Foto: Reprodução/picturesofbabies [imagem ilustrativa]

Fontes: bbcfolhag1