Sua saúde

Sintomas de apendicite: Como saber se a dor que você está sentindo é inflamação do apêndice

Sintomas de apendicite dor na barriga

Os sintomas de apendicite incluem, principalmente, dor abdominal intensa, febre alta, náuseas e vômitos. Isso porque, a apendicite é uma inflamação dolorosa no apêndice, uma bolsinha localizada do lado direito do intestino grosso. Essa inflamação, sem dúvida, acontece quando algum corpo estranho, como pequenas porções de fezes, um parasita ou até sementes de tomate causam obstrução do apêndice.

A doença fica séria quando o órgão incha e forma um abcesso. Isso porque, a única cura é cirúrgica com procedimento emergencial. Por isso, é importante saber se a dor que você está sentindo é um dos sintomas de apendicite, ou não.

Uma publicação da  Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões [1], os sintomas de apendicite podem acontecer a qualquer momento, mas ocorre mais volta e meia entre as idades de 10 e 30. Ao mesmo tempo, estatisticamente, é mais comum em homens do que em mulheres. Portanto, essa inflamação é uma condição não previsível e não evitável. No início de uma crise, muitas pessoas confundem os sintomas de apendicite com gases intestinais ou indigestão. Contudo é possível diferenciar logo no início.

Estou com gases ou apendicite?

Quando estamos com indigestão ou outras dores relacionadas a gases, é bem comum sentimos dores na barriga parecidas com sintomas de apendicite. Em alguns casos, a pessoa sente como se os gases estivessem presos e, assim, a dor só aumenta.

A dica é fazer uso de medicamentos como a Simeticona [bula] por exemplo, que atua no estômago e no intestino, diminuindo a tensão superficial dos líquidos digestivos e rompendo as bolhas de gases. O alívio, decerto, é quase imediato. Dessa forma, se o sintoma de dor persistir e vier associada a outros sinais. Procure um médico o quanto antes.

Sintomas de apendicite

Os sintomas de apendicite podem evoluir rapidamente. Assim, é bom estar atento, pois os sintomas, geralmente, pioram ao longo de 24 a 36 horas, depois, sem tratamento, o apêndice pode perfurar e levar à morte. Os sintomas são:

  • dor ao redor do umbigo
  • dor abdominal inferior direita
  • perda de apetite
  • náusea e vômito
  • diarreia
  • apatia, cansaço extremo
  • Prisão de ventre
  • incapacidade liberar gases intestinais
  • inchaço abdominal
  • febre baixa persistente
  • uma sensação de que você pode se sentir melhor depois de passar pelas fezes

1. Dor ao redor do umbigo

A dor abdominal é o sintoma característico da apendicite. De acordo com estudo publicado na  The BMJ [2], o que pode confundir as pessoas, no entanto, é que a dor começa m outro local. A maioria das pessoas associa a apendicite com dor no quadrante inferior direito (o lado inferior direito da barriga), mas esquece o fato de que a dor geralmente começa ao redor do umbigo (dor periumbilical) e evolui nas próximas 24 horas. Em seguida, com o aumento da infecção, a dor passa para o quadrante inferior direito sobre a área do apêndice. A dor é pior, decerto, com o movimento das pernas.

2. Dor abdominal intensa

Como já dito, um dos sintomas de apendicite mais marcantes é a forte dor abdominal. O ceco e o apêndice se localizam no lado direito e embaixo do abdômen, por isso, uma apendicite se apresenta tipicamente como uma dor mais intensa nesta região. No entanto, no início das dores, ela pode parecer mais dispersa no abdome. Somente com a evolução da doença é que ela estará localizada exatamente neste local. Contudo, a dor de gases intestinais é localizada próximo a este local e podem confundir.

Então, uma forma que pode ajudar a confirmar a apendicite é fazer uma ligeira pressão sobre o local da dor e depois soltar rapidamente. A dor da apendicite na barriga aumentará muito com esse apertão. Se a dor for mais intensa, pode ser sinal de apendicite.

3. Febre baixa persistente e, depois, alta

Assim que a dor em volta do umbigo começa, é possível que uma febre chatinha, baixa se instale. Ela vai embora com medicação, mas volta assim que o efeito passa. A febre pode ficar assim, no até o segundo dia. Contudo, depois, a inflamação e infecção no apêndice, ativará o sistema imunológico de vez e isso causará febre alta. Ao medir a temperatura, atente para algo acima de 38 °C. Dependendo da evolução da doença essa febre poderá atingir rapidamente 39 ou 40°C.

4. Náuseas e vômito

 Além da febre e da dor a pessoa terá náuseas e vômitos. Isso, também por consequência da infecção. Ao mesmo tempo, dependendo do grau da infecção, alguns pacientes costumam vomitar sangue. Os vômitos virão costumam ser persistentes mesmo com medicação.

5. Falta de apetite e diarreia

Uma pessoa com apendicite perde totalmente o apetite. Normalmente, estes sintomas de apendicite se dão pelo enjoo e pelo colapso do trato digestório. Tal colapso aumentará motilidade do intestino, na esperança de expulsar o agente infeccioso. Ao mesmo tempo que o estômago tentará expulsar todo conteúdo ingerido, o intestino poderá fazer o mesmo. Com a evolução da doença as fezes moles podem terá traços de sangue.

6. Fadiga e apatia

Uma pessoa com apendicite ficará duramente debilitada. Todo o organismo sofrerá com a infecção. Assim, o paciente só sente vontade de ficar deitado, sente-se sempre muito cansado e apático. Essa fadiga deixará a pessoa tonta ao levantar.

7. Abdome rígido

A infecção trará outros sintomas de apendicite bastante comuns:  o abdômen fique rígido e, e ao mesmo tempo, resistente próximo a região da dor e em volta do umbigo.

De acordo com cirurgião do aparelho digestivo, Dr. Douglas Bastos, do Rio de Janeiro, não há uma alimentação recomendada para prevenção da apendicite. Isso porque, a origem do quadro inflamatório não se relaciona ao tipo de alimento ingerido. Uma vez feita a cirurgia, o problema estará definitivamente resolvido. Há 6 maneiras de saber se a dor é, de fato, um dos sintomas de apendicite.

O que mais você precisa saber

  • A dor abdominal seguida de vômito é clássico da apendicite. Outros casos de dor abdominal, como virose, por exemplo, a pessoa começa a vomitar primeiro e só depois se queixa da dor abdominal.
  • Especialmente as crianças com apendicite terão um hemograma completo bastante alterado com contagem com leucócitos altos.
  • Ultrassonografia ou tomografia computadorizada, nem sempre sejam necessários. Contudo, se sentir que o médico está receoso do diagnóstico, insista, pois, estes exames são precisos no diagnóstico de apendicite.
  • O tratamento para apendicite é uma apendicectomia, que é a remoção cirúrgica do apêndice inflamado.
  • Embora a apendicite seja mais comum em crianças mais velhas, atingindo um pico na ocorrência entre os 12 e os 18 anos, também pode ocorrer em crianças pequenas.
Artigos médico-científicos: Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões [1] The BMJ [2]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo