Curiosidades

Remédio para depressão: ervas e suplementos que funcionam [comprovados cientificamente]

Remédio para depressão: ervas e suplementos naturais que funcionam

Remédio para depressão: ervas e suplementos que funcionam [comprovados cientificamente]
4.7 (93.33%) 3 votes

O remédio para depressão ideal para cada um só pode ser determinado pelo seu psiquiatra. Contudo, você também pode discutir com ele opções de tratamentos naturais, o que é ótimo! A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, bem como a ANIVISA no Brasil já aprovaram uma série de medicamentos para o tratamento da depressão, como a fluoxetina, venlaflaxina e outros. Contudo, para as pessoas que convivem com o problema, mas optam por não tomar um desses medicamentos, pode tentar outras opções. Isso porque, ervas e suplementos vitamínicos podem ajuda (e muito!) no alívio dos sintomas.

Não é novidade para ninguém que a medicina natural está voltando às suas origens e muitos tratamentos hoje, estão sendo feitos através de ervas e reposição vitamínica. Muitas dessas drogas naturais têm sido usadas ​​medicinalmente por séculos como tratamentos folclóricos e alternativos. Hoje, muitas ervas são comercializadas como estimulantes do humor, por exemplo. Isso, decerto, para auxiliar pessoas que experimentam sentimentos crônicos de tristeza ou desesperança.

Estudos tentaram rastrear os benefícios das ervas para o tratamento da depressão. Selecionamos, então, várias ervas que podem ajudar a levantar seu humor quando você experimenta ansiedade e depressão leve a moderada. O remédio para depressão ideal para você pode estar entre os 5 abaixo citados. No final do texto, você poderá encontrar links para os artigos científicos relacionados.




Erva de São João

A erva de São João (Hypericum perforatum) talvez seja o remédio para depressão natural mais conhecido do mundo. Isso porque, sua eficácia já é comprovada a milênios. Afinal, os europeus geralmente tomam a erva de São João como uma forma de tratar a depressão, há séculos.

Tomar a erva de São João tem sido associado ao aumento da quantidade de serotonina no organismo. A serotonina é a substância química que causa bem-estar no cérebro. Sabemos, no entanto, que pessoas com depressão possuem níveis baixos ou simplesmente deficiência na produção da serotonina. Atualmente, sabemos que vários antidepressivos sintéticos (fluoxetina, por exemplo) funcionam aumentando a quantidade de serotonina no cérebro, e por isso, diminuindo os sintomas da depressão.



De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde (NIH), a erva pode ajudar formas mais brandas de depressão. Ao mesmo tempo, uma revisão publicada na revista Cochrane [1] analisou 29 estudos sobre a erva de São João. Os cientistas descobriram, então, que a planta era tão eficaz para o tratamento de depressão leve a moderada quanto os antidepressivos e, ainda, resultou em menos efeitos colaterais. Por outro lado, o National Center for Complementary and Alternative Medicine of NIH [2] patrocinou dois estudos separados que descobriram que não era melhor do que um placebo para tratar a depressão.

É importante, de qualquer forma, considerar o uso dessa erva, como remédio para depressão natural em associação com o tratamento convencional. Contudo, a erva pode interagir com muitos medicamentos, como pílulas anticoncepcionais e medicamentos quimioterápicos, por exemplo. Assim, reiteramos que verifique com seu médico antes de tomar esta erva.

Ômega 3



O ômega 3 é um tipo saudável de gordura encontrada em peixes como salmão, truta e sardinha. Eles estão disponíveis em forma de suplemento, conhecidos também como cápsulas de óleo de peixe.  Atualmente, descobriu-se que pessoas com baixos níveis de duas substâncias químicas do cérebro encontradas em suplementos de óleo de peixe podem estar em maior risco de depressão. É ideal, então, para obter uma maior proporção de DHA para EPA, que são os dois tipos de ácidos graxos ômega-3.

Um estudo publicado no The American Journal of Psychiatry [3], analisou crianças de 6 a 12 anos com depressão que fizeram uso de ômega 3 por até 16 semanas. Os pesquisadores concluíram que a análise de variância mostrou efeitos altamente significativos do ômega-3 e, que este suplemento pode ter benefícios terapêuticos na depressão infantil.

Peixe também pode ser um bom remédio para depressão. Além de tomar suplementos de óleo de peixe para obter ácidos graxos ômega-3, a pessoa pode, ao mesmo tempo, aumentar o consumo de peixe. Comer peixe três vezes por semana pode aumentar seus ácidos graxos ômega-3 sem o auxílio de suplementos. Outro estudo publicada na Science Direct [4], concluiu que inserir peixes na dieta provoca a aderência do ômega 3 na membrana das hemácias. Nos pacientes deprimidos essa aderência teve os sinais de depressão aliviados. Peixes recomendados contra depressão: atum em conserva leve, salmão, truta de água doce e sardinha.

Açafrão

Um estudo publicado na Alternative Medicine Review [5] revelou que o estigma e a pétala da flor do açafrão (Crocus sativus) pode ser tão eficaz quanto a fluoxetina e imipramina. Outro estudo, publicado na Humam Psychopharmacology [6] concluiu que o açafrão tem grandes efeitos de remédio para depressão e, quando comparado com medicamentos antidepressivos, tem eficácia antidepressiva similar. Os efeitos antidepressivos do açafrão são devidos às propriedades serotoninérgicas, antioxidantes, neuro‐endócrinas e neuroprotetoras. Age, ao mesmo tempo, como anti-inflamatório. Da mesma forma, vários outros estudos mostraram a eficácia do açafrão no alívio da depressão.

Zinco

O suplemento de zinco pode também ser uma excelente alternativa contra depressão. O zinco é um nutriente ligado às funções mentais, ligadas ao aprendizado e comportamento. Baixos níveis de zinco no organismo estão associados à alterações neuronais implicadas na fisiopatologia da depressão, conforme concluiu uma análise publicada na Biological Psychiatry [7].

Ao mesmo tempo, uma publicação da Nutrition Neuroscience [8] , tomar um suplemento de zinco de 25mg por dia durante 12 semanas pode ajudar a reduzir os sintomas de depressão. Tomar suplementos de zinco também pode aumentar a quantidade de ácidos graxos ômega-3 disponíveis no corpo. Converse com seu médico!

⚠️ ATENÇÃO: Não tente tratar a depressão por conta própria. A depressão pode se tornar grave se você não conseguir ajuda profissional e eficaz. Para algumas pessoas, inclusive, os sintomas de depressão podem aumentar o risco de suicídio. Fale com o seu médico se você ou alguém que você conhece pode estar deprimido. Fique atento, sobretudo nos sinais de depressão em adolescentes.

Artigos médico-científicos: Cochrane [1], National Center for Complementary and Alternative Medicine of NIH [2] , The American Journal of Psychiatry [3],   Science Direct [4], Alternative Medicine Review [5] , Humam Psychopharmacology [6],  Biological Psychiatry [7].Nutrition Neuroscience [8] 

 

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo