Sua saúde

Desvio de septo: o que é? Quais os sintomas? Como é a cirurgia e a recuperação?

Desvio de septo: o que é? Quais os sintomas? Como é a cirurgia?

Desvio de septo é uma irregularidade na cartilagem do nariz que separa as narinas. Normalmente, o septo fica no centro do nariz e divide as narinas igualmente. Pelo menos, é assim que deveria ser, mas, em algumas pessoas, não funciona dessa forma. Assim, tem gente que sofre consequências por ter um septo irregular, o que torna uma narina maior que a outra. O problema, decerto, causa muito desconforto, como narina bloqueada ou dificuldade para respirar.

Ter desvio de septo é muito comum. Segundo a American Academy of Otolaryngology – Head and Neck Surgery, 80% de todos os septos sofrem desvio, mesmo que sutis. De qualquer forma, um desvio de septo requer atenção médica, pois, pode causar outros problemas de saúde ou afetar negativamente a qualidade de vida.

Quais são as causas? Um desvio de septo pode ser congênito, ou seja, a pessoa já nasce com ele. Também pode ocorrer como resultado de uma lesão no nariz. As pessoas muitas vezes sofrem essas lesões por meio choque nos esportes, lutas ou acidentes de carro. Ao mesmo tempo, um desvio de septo sutil pode piorar com a idade. Um estudo publicado no periódico Revista da Associação Médica Brasileira [2] revelou que pelo menos 62,5% das pessoas viciadas em cocaína desenvolvem desvio de septo. Isso se dá, possivelmente, pela opção de alguns usuários de utilizar sempre a mesma narina para uso da droga.




Desvio de septo: quais são os sintomas?

A maioria das pessoas com desvio de septo tem apenas um pequeno desvio. Quando é assim, ela não tem sintomas evidentes ou seja, ela não costuma sentir muito incomodo.  Ainda assim, os possíveis sintomas incluem:

  • dificuldade em respirar, especialmente pelo nariz
  • respirar melhor em um lado do nariz
  • sangramento nasal
  • infecções sinusais
  • ter uma das narinas sempre seca
  • ronco ou respiração forte durante o sono
  • sensação de nariz entupido

Quando o desvio de septo é mais grave, a pessoa passa a sentir dor na face. É importante nesses casos consultar um otorrinolaringologista se você costuma ter o nariz sangrando ou sintomas de sinusite com frequência. Ao mesmo tempo, se sente dificuldade de respirar a ponto de afetar a qualidade de vida.

Como o desvio de septo é diagnosticado? Para diagnosticar um desvio de septo, o médico primeiro examina suas narinas com um aparelho chamado espéculo nasal. Ele irá verificar a posição do septo e em que grau isso afeta o tamanho das narinas. Ao mesmo tempo, ele irá questionar sobre o sono, ronco, problemas nos seios da face e dificuldade para respirar.

Tratamentos para desvio de septo

Na maioria dos casos, o tratamento não é necessário. Contudo, quando há um desvio de septo severo, a cirurgia é a opção de tratamento eficiente. Devido aos custos, riscos ou outros fatores, algumas pessoas com desvio de septo preferem não se submeter à cirurgia. Assim, outras opções de tratamento estão disponíveis. Embora essas alternativas não resolvam definitivamente o problema, podem diminuir os sintomas de desvio de septo. Assim, para ajudar com os sintomas, o tratamento se concentra diminuí-los com medicamentos como: descongestionantes, anti-histamínicos, spray esteroide nasal ou tiras nasais.

Como é a cirurgia de desvio de septo?

Quando os sintomas não melhoram com medicação ou outras tentativas de tratamento, a opção mais recomendada é uma cirurgia reconstrutiva chamada septoplastia.

Preparação: Para se preparar, você deve evitar tomar medicamentos como aspirina ou ibuprofeno por duas semanas antes e depois da cirurgia. Esses medicamentos podem aumentar o risco de sangramento. Afinal, o nariz é uma região fortemente irrigada e favorecer uma hemorragia nasal, não é bom. Quando a pessoa é fumante deve parar de fumar, por um tempo, pois pode interferir na cicatrização.



Procedimento: A septoplastia leva cerca de 90 minutos e é realizada sob anestesia conforme decisão médica (geral ou local).  Durante o procedimento, um cirurgião corta o septo e retira o excesso de cartilagem ou osso. Isso endireita o septo e sua passagem nasal. Em alguns casos há uso de talas de silicone inseridas em cada narina para apoiar o septo. Em seguida, a ferida da incisão é fechada com suturas e, pronto!

Complicações: Você será monitorado imediatamente após a cirurgia devido a complicações, e provavelmente será capaz de ir para casa no mesmo dia. A septoplastia é geralmente um procedimento seguro para a maioria das pessoas que podem passar por anestesia. Mesmo assim, os riscos podem ocorrer, como:

  • mudança da forma do nariz
  • não resolução total do problema mesmo após a cirurgia *
  • sangramento excessivo
  • diminuição do olfato
  • dormência temporária nas gengivas e dentes superiores
  • hematoma septal, que desaparece em poucos dias

Quanto a não resolução do problema mesmo depois da cirurgia, um estudo publicado no periódico Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [1], relatou uma melhora de 67% uma semana após a cirurgia. Após três meses essa porcentagem subiu para 78%. Algumas pessoas que não tiveram melhora, estão relacionadas a pouco cuidado pós-operatório e crises de rinite frequentes durante a cicatrização.

Como é a recuperação da cirurgia de desvio de septo?




Durante a recuperação da septoplastia, o médico, em geral, prescreve medicação contra dor e risco de infecção pós-operatória. É preciso evitar mexer no nariz durante a cicatrização e nos três meses seguintes. O septo se torna relativamente estável entre três e seis meses após a cirurgia. Ao mesmo tempo, algumas mudanças podem acontecer até um ano depois. Para evitar isso, evitar choques no nariz, tanto quanto possível, é indispensável. Além disso, as dicas abaixo são definitivamente necessárias para que corra tudo bem:

  • Não assoar o nariz.
  • Elevar a cabeça quando estiver dormindo.
  • Evitar exercícios extenuantes, incluindo cardio.
Artigo médico-científico: Ver. Bras. de Otorrinolaringologia [1]  , Rev.  As. Médica Brasileira [2]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo