Mulher

Ardência vaginal: Especialistas explicam o que pode ser e o que fazer

Ardência na vagina: o que pode ser e o que fazer sobre a ardência vaginal

Ardência vaginal: Especialistas explicam o que pode ser e o que fazer
4.4 (88.89%) 9 votes

Ardência vaginal é um sintoma bastante preocupante e desconfortável para as mulheres. Em alguns casos, a busca por ajuda profissional vai sendo deixada de lado. Na verdade, o que pode ser um probleminha fácil de resolver, acaba se tornando algo mais grave se não cuidado a tempo ou corretamente. A ardência vaginal pode ser resolvida facilmente em alguns casos.

De acordo com a sexóloga Bianca Herbe, membro da Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica, que há vários motivos para que este sintoma surja. Na verdade, diversos sites têm mostrado diferentes causas relacionadas a infecções por bactérias, fungos e protozoários. Mas, há motivos muito mais simples e corriqueiros que também causam ardência vaginal.




Assadura vaginal

Naquela correria do dia-a-dia muitas mulheres pecam na higiene íntima após o xixi e o cocô. Isso não é nenhum pecado, mas suor nos genitais e resíduos de fezes e urina podem provocar assaduras na região. O resultado disso é a ardência, além de vermelhidão. Durante o período menstrual essa ardência pode piorar pelo contato com o sangue e o uso de absorventes. O que fazer: Em dias quentes, principalmente, procure fazer uma lavagem externa com a ducha higiênica após fazer xixi, cocô ou na troca do absorvente. Outra dica é usar sempre calcinha de algodão. Deixe as calcinhas de renda para os momentos íntimos especiais.

Alergias



Fique de olho nos produtos de higiene que você vem usando para limpar os genitais. O papel higiênico (especialmente os perfumados), sabonetes, perfumes íntimos ou até mesmo o amaciante usado na roupa íntima podem causar alergias e irritações. Outro motivo pode ser o uso de lubrificantes e “apimentadores” sexuais de má qualidade.  O que fazer: Avalie os produtos usados na sua higiene íntima. Evite lencinhos umedecidos e papel higiênico com perfume. Além disso, opte por produtos íntimos de boa qualidade e dermatologicamente testados.

Urina ácida

Às vezes a urina pode estar muito concentrada (forte) e isso aumenta sua acidez. Isso é causado principalmente por falta de água no organismo. Assim, quando bebemos pouca água a urina fica muito concentrada e irrita a uretra. Caso fique resíduos de urina nos pequenos lábios vaginais pode causar ardência.  O que fazer: Observe a cor da sua urina: quanto mais amarela, menos água você está ingerindo e mais forte e concentrada a urina fica. Passe a beber pelo menos 1,5 litros de água por dia. Isso resolverá o problema.



Esperma alcalino

Dr. Jairo Bouer, médico especialista sexualidade humana, explicou no site da Prudence que algumas mulheres podem ter alergia a alguns componentes do esperma. O próprio esperma (por ser alcalino) pode provocar o crescimento de bactérias (vaginose) que podem provocar essa sensação de desconforto também.  O que fazer: O casal deve fazer um teste tentando usar camisinha e evitando ejaculação direto dentro da vagina. Outra ideia é usar lubrificante à base de água para facilitar a relação. Se não melhorar, procure o ginecologista.

Menopausa também causa ardência vaginal

Quando a mulher está chegando na menopausa, a diminuição do estrogênio pode causar muitos sintomas. Assim, a ardência vaginal é um deles. Consequentemente, a relação sexual pode piorar a esse sintoma e uma lubrificação extra é muitas vezes necessária. Um estudo publicado na Revista da Associação Médica Brasileira [2] diz que do ponto de vista clínico,  a menopausa é uma etapa marcante do envelhecimento feminino. É, sobretudo caracterizada pela baixa de estrogênio progressiva e culminando com a interrupção definitiva dos ciclos menstruais. Inicia-se normalmente entre 35 e 40 anos, estendendo-se até os 65 anos.

No caso de menopausa, além de ter a vagina ardendo, a mulher tem cansaço, ondas de calor e  irritabilidade. Ao mesmo tempo pode enfrentar insônia, suor noturno e falta de desejo sexual. O que fazer: Se você acha que está passando por sintomas da menopausa, consulte seu médico. Eles podem prescrever suplementos de estrogênio ou outras terapias hormonais para ajudar a aliviar seus sintomas.

Infecções deixam a vagina ardendo

Vaginose bacteriana: Trata-se de uma infecção vaginal comum em mulheres entre 15 e 44 anos. Pode, certamente, se desenvolver quando há um crescimento bacteriano anormal nos genitais. Além da ardência, a mulher terá um corrimento branco ou acinzentado, cheiro de peixe podre e coceira vaginal. O que fazer: O tratamento consiste de antibióticos ou aguardar ação do sistema imunológico.

Candidíase: Trata-se de uma infecção fúngica causada pela Candida albicans. Os sintomas incluem:  coceira vaginal e inchaço, dor ao urinar e na relação, corrimento branco espesso em grumos (lembra queijo cottage). Além disso, há, em alguns casos, erupção cutânea vermelha do lado de fora da vagina. O que fazer: O tratamento é com anti-fúngicos orais ou tópicos receitados pelo médico.

Doenças Sexualmente Transmissíveis

De acordo com a Dra. Debra Rose Wilson [1], especialista em medicina holística da Walden University , diversas Doenças Sexualmente Transmissíveis podem causar ardência vaginal. Dessa forma, a melhor maneira de identificar é associando os sintomas.

Tricomoníase: A tricomoníase é muito comum em mulheres que em homens. Muitas mulheres com a infecção não apresentam nenhum sintoma. Mas quando os sintomas ocorrem, eles incluem: coceira vaginal, ardência vaginal e corrimento espumoso nas cores branco, amarelo ou verde. Além disso, mau cheiro, dor na relação sexual e durante o xixi. Ao mesmo tempo, dor abdominal baixa. O que fazer: A tricomoníase é tratada com antibióticos.

Gonorreia: Ardência vaginal é também um sintoma de gonorreia. Raramente essa doença apresenta sintomas. Na maioria dos casos, um teste de DST é a única maneira de saber com certeza se você tem essa doença. Contudo, quando há sintomas, eles incluem: ardência vaginal leve, queimação dolorosa e irritação ao urinar. Ao mesmo tempo, pode haver corrimento anormal e sangramento fora do período menstrual. O tratamento é com antibiótico, geralmente, de dose única.

Clamídia: Quando a clamídia apresenta sintomas, além de ter a vagina ardendo, pode haver também uma sensação de queimação ao urinar e corrimento amarelo. É tratada com antibióticos.  Mas se não tratada, a clamídia pode causar danos permanentes ao seu sistema reprodutor e deixar a mulher infértil.

Opinião médica: Dra. Debra R.Wilson [1]     Artigo médico científico: Rev Assoc Médica Brasileira [2]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo