Sua saúde

Sibutramina emagrece? Veja 7 grupos de pessoas que podem morrer se usarem o medicamento

Sibutramina emagrece: 7 situações que o remédio pode matar

Sibutramina emagrece? Veja 7 grupos de pessoas que podem morrer se usarem o medicamento
5 (100%) 2 votes

Sibutramina emagrece mesmo? Essa é a dúvida de muita gente. Contudo, antes de pensar em emagrecimento, é preciso saber se você pode mesmo fazer uso deste medicamento. De acordo com o um estudo publicado na Revista Brasileira de Nutrição Clínica (1), a obesidade é uma doença crônica, considerada um dos maiores problemas de saúde pública. Desta forma, a corrida pelo corpo perfeito tem feito muitas pessoas apelarem para medicamentos para emagrecer, que, nem sempre, dá os resultados esperados. Um medicamento que tem sido comercializado de maneira indiscriminada, para objetivos estéticos, é a sibutramina. Segundo estudos, há situações especiais  em que o remédio pode matar.

Este remédio é um tipo de inibidor de apetite utilizado para pessoas com obesidade mórbida. Seu uso é extremamente controlado por um especialista. Está restrito, sobretudo, a obesos mórbidos que dificuldade de emagrecer mesmo sob dieta e fazendo exercícios físicos regulares.

Logo que foi lançado, sua primeira destinação foi como antidepressivo. Assim, a sibutramina age no hipotálamo cerebral, o qual também controla a fome no indivíduo. Ao mesmo tempo, tem como um dos mecanismos de ação o bloqueio da recaptação da serotonina. Contudo, teve melhor atuação na diminuição do apetite, principalmente por passar uma sensação de saciedade com menor consumo de alimentos. Assim, todo mundo quis saber se a sibutramina emagrece realmente. Então, depois que os médicos descobrirem essa função, eles passaram a usar o medicamento somente para tal propósito: emagrecer!




Hoje, no Brasil, a prescrição e venda de Sibutramina está bastante regulada pela Anvisa. Desta forma, para que o paciente compre o medicamento, é necessário que o mesmo assine um termo de responsabilidade. Ao mesmo tempo, é preciso apresentar a receita médica. No entanto, por mais restrita que seja a venda do remédio, ainda existe o comércio ilegal. Neste, é possível comprar o medicamento pela internet sem autorização médica ou assinar o termo de responsabilidade.

Sibutramina emagrece? Veja efeitos colaterais

Mas mesmo as pessoas que tomam o remédio com indicação médica estão sujeitas aos seus efeitos colaterais. O estudo acima citado (1), diz que apesar da boa tolerabilidade, a droga pode afetar o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso central. Um relato de caso, publicado na Revista Brasileira de Psiquiatria (2), narrou um paciente que teve um surto psicótico sob uso de sibutramina. O homem, de 30 anos, passou a apresentar alucinações auditivas e visuais. Além disso, teve delírios paranoicos e mania de perseguição. Ao mesmo tempo, se tornou uma pessoa agitada e agressiva.



Somado a todos os sintomas acima citados, o tratamento com este medicamento causa aversão à comida, anorexia, alucinações, insônia, irritabilidade, agressividade, taquicardia, dor de cabeça, boca seca com surgimento de aftas, coceira na pele e náuseas. No entanto, há sete grupos de pessoas que não deveriam usar sibutramina em hipótese alguma.

Sibutramina emagrece? Quem não pode tomar sibutramina

⚠️Pessoas com menos de 16 anos ou mais de 60. Nas pessoas mais velhas, há o risco de problemas cardiovasculares e cerebrovasculares. E nos adolescentes, não há indicação de nenhum medicamento que atue no sistema nervoso central.



⚠️Pessoas com histórico de alcoolismo. O álcool potencializa os efeitos da sibutramina. Então se ela te deixa mais lento, te deixará muito mais lento, sem reflexos e desorientado. Isso é umas das complicações que pode causar, a combinação das substâncias pode levar até mesmo à morte ou trazer consequências destrutivas ao cérebro por conta de uma parada cardíaca, derrame ou AVC. Ao mesmo tempo pode ser tóxico ao fígado caso a pessoa tenha tendencia a cirrose. Mas, é claro que tudo depende de uma avaliação médica, para se chegar até uma consequência como esta.

⚠️Pessoas com obesidade que tenham outras causas, como hipotireoidismo ou gravidez. Nesses casos é preciso tratar a causa. Um medicamento pode descompensar ainda mais a tireoide ou, no caso das grávidas, ter algum efeito negativo sobre o desenvolvimento neurológico do feto.

⚠️Pessoas que tomam antidepressivos. Esses medicamentos, assim como a sibutramina, agem nos neurotransmissores do cérebro. Pode haver uma produção excessiva de serotonina no organismo e com isso causar a Síndrome de Serotonina, o que pode acontecer para pessoas de qualquer idade. Trata-se de um quadro clínico que inclui delírios, ansiedade, diarreia, vômitos, desorientação, tremores e rigidez muscular, entre outros sintomas, que podem levar a pessoa a óbito.

⚠️Pessoas com antecedentes de distúrbios alimentares. Quem já teve anorexia ou bulimia, por exemplo, precisa de tratamento com outras técnicas, que não envolvam medicação, especialmente as que reduzem o apetite.

⚠️Pessoas hipertensas ou com doenças cardiovasculares. De acordo com a Bula do cloridrato de sibutramina (3), aumenta a frequência cardíaca e/ou da pressão arterial. A sibutramina aumenta a pressão e a frequência cardíaca. É extremamente proibido para quem já tem esses problemas, sobretudo, com histórico de doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca congestiva e arritmias.

⚠️Pessoas com glaucoma. Qualquer remédio para emagrecer ou não, que aumente  a pressão intraocular é contraindicado nesses casos. Desta forma, principalmente aqueles com glaucoma de ângulo fechado, devem ficar longe deste medicamento.

Artigos científicos: (1)  (2)   Bula do medicamento: (3)
 

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo