Estudos e pesquisas

Estudo revela: os humanos tinham um osso no pênis. Mas por que perderam?

Evolução: estudo explica porque os homens não têm mais osso no pênis

Estudo revela: os humanos tinham um osso no pênis. Mas por que perderam?
5 (100%) 1 vote

Poucas pessoas sabem que a maioria dos mamíferos que um osso no pênis. Ao propósito, até mesmo quem gosta de evolução humana, desconhece que, no passado, nossos ancestrais também tinham esse osso. O báculo, como o osso no pênis é conhecido cientificamente, tem sido um grande mistério para os estudiosos da evolução. Afinal, até mesmo os grandes primatas – com exceção dos homens humanos – o tem.

O báculo, na verdade, se apresenta em tamanhos tão diferentes nos diversos mamíferos placentários que os cientistas decidiram reconstruir sua história evolutiva. A ideia, era traçar o aparecimento desse osso peniano nos mamíferos ao longo da história.

O estudo, publicado na  Proceedings of the Royal Society (1) , descobriu, a princípio que o osso do pênis nos mamíferos há mais de 95 milhões de anos. Ainda, estava presente nos primeiros primatas que surgiram há cerca de 50 milhões de anos. A partir desse momento, o báculo tornou-se maior em alguns animais e menor em outros.




Os autores revelaram que o comprimento do osso do pênis era maior em machos que se envolviam com “intromissões prolongadas”. Isto é, nas espécies que o coito demora mais de três minutos o osso era maior. Essa estratégia ajudava o macho se manter engatado na fêmea dando tempo para que a fecundação acontecesse. Dessa maneira, outros machos se manteriam longe dela. Para tentar imaginar isso, lembre-se da cópula dos cachorros. Em teoria, seria praticamente, a mesma coisa.

Monogamia

O estudo concluiu que o osso do pênis desapareceu nos hominídeos quando a monogamia passou a ser uma estratégia evolutiva de sucesso. Essa mudança anatômica e comportamental aconteceu há 1,9 milhão de anos, na época do Homo erectus. A monogamia, ao que parece, se tornou necessária devido o surgimento de diversas doenças sexualmente transmissíveis, sobretudo a fêmea que desenvolver complicação vaginal. Mas, em relação ao osso de pênis há outra explicação.



Em teoria, nos relacionamentos monogâmicos, o macho não precisa passar muito tempo penetrando a fêmea. Isso porque, teoricamente, ela não terá outros encontros amorosos. Assim, não se fazia mais necessário, manter o genital engatado por muito tempo. Então, se o báculo serve para ajudar a prender o casal e isso não é mais necessário, para que o osso, então?

A teoria do estudo é que, se não há mais competição entre machos, é pouco provável que eles precisem do osso no pênis. De acordo com os autores, os macacos ainda possuem esse osso, pois, não praticam monogamia.

Em suma, na época do Homo erectus, a monogamia passou a dominar os grupos. Com isso, o báculo, que servia como fixador dos genitais, deixou de ser necessário.



Artigo científico: (1)

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo