Sua saúde

Diabetes tipo 1 e 2: Entenda as diferenças. Qual a mais comum? Qual a mais perigosa?

Diabetes tipo 1 e 2: Entenda as diferenças. Qual a mais perigosa?

A diferença entre Diabetes tipo 1 e 2 é importante, sobretudo para quem tem esses casos na família.

Sabemos que o diabetes é caracterizado com o acúmulo de açúcar no sangue, ou seja, quando há um alto nível de glicose no sangue do organismo.

É uma doença crônica que pode atingir qualquer pessoa e em qualquer idade, principalmente aquelas que não apresentam hábitos saudáveis.

Apesar de diversos cientistas se ocuparem com estudos a respeito do diabetes, como a relação diabetes e Viagra, por exemplo, ainda há muitas dúvidas.

Diabetes tipo 1 e 2

Há dois tipos principais do diabetes: o diabetes tipo 1 e o diabetes tipo 2.

Mas antes de sabermos sobre os tipos, vamos entender o principal o órgão que atua nesse processo, o pâncreas.

Esse órgão é responsável pela produção de alguns hormônios importantes para o sistema digestório, dentre eles a insulina, produzida pelas células beta.

Então, quando há um alto nível de glicose no sangue, as células betas produzem insulina para que essa glicose seja levada para todas as células do corpo como fonte de energia ou para armazenamento em forma de gordura.

Se você tem diabetes ou algum caso na família e está sempre perdido sobre a alimentação correta, clique no link e conheça >> A Dieta Completa Para Diabéticos <<

Diabetes Tipo 1

O diabetes tipo 1 ocorre apenas entre 5% a 10% do total de pessoas com a doença, conforme afirma a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

Ela acontece quando o sistema imunológico ataca equivocadamente as células betas.

Logo a produção de insulina cai ou nenhuma insulina é produzida deixando acumular muita glicose no sangue.

Ou seja, o organismo fica sem energia para realizar as suas atividades, já que a glicose não consegue chegar às células.

Sintomas: O tipo 1 pode não apresentar nenhum sintoma, porém alguns casos podem surgir alguns sinais.

Desta forma, é comum sentir vontade frequente de urinar, sede e fome excessiva, perda de peso sem causa aparente.

Tratamento: De acordo com o Dr. Arthur Frazão, clínico geral, o tratamento para o tipo 1 é realizado com injeções diárias de insulina.

Além disso, uma alimentação equilibrada e com pouca ingestão de açucares e carboidratos é indispensável.

Cozinhar para quem tem diabetes pode ser uma tarefa bastante difícil, por isso, muita gente está correndo atrás da >> A Dieta Completa Para Diabéticos <<. Uma salvação!

Diabetes Tipo 2

O diabetes tipo 2 (ou Diabetes Mellitus) só ocorre quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina.




Ao mesmo tempo, alguns casos, não há produção de insulina suficiente para controlar a taxa de glicose.

No geral, afeta cerca de 90% das pessoas com a doença e se manifesta frequentemente em adultos.

Contudo, pode afetar crianças, pessoas que não apresentam hábitos saudáveis são mais vulneráveis a doença.

Por ser o tipo mais comum, é também a que mais leva pessoas a morte.

Sintomas: Os principais sintomas, se não tratado, são: sensação constante de sede, fome exagerada, vontade de urinar frequente, dificuldade de cicatrização de feridas, visão turva.

Tratamento: A forma mais comum é utilizar medicamentos para controlar a glicose no sangue, mas dependendo do grau da doença, também pode ser feito com o uso de insulina diário.

Claro que com uma alimentação equilibrada e com pouca ingestão de açucares, além de atividades físicas, auxiliam bastante no tratamento.

Ao apresentar desses sintomas é necessário buscar ajuda médica para que sejam realizados exames de sangue.

Tais exames irão para avaliar o nível de glicose na circulação sanguínea.

Está cansada de comer sempre a mesma comidinha por causa do Diabetes? Centenas de visitantes do nosso site estão usando a >> A Dieta Completa Para Diabéticos <<.

 Ultima atualização 15 de abril de 2019   Artigos médico-científicos sobre diabetes tipo 1 e 2: [1] [2]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo