Água oxigenada clareia os dentes? Veja o que dizem os artigos científicos

Clareamento dental caseiro: Água oxigenada realmente clareia os dentes?

Todo mundo quer ter dentes branquinhos, mas nem todos pode pagar pelo serviço de um profissional. Por causa disso, o clareamento dental caseiro tem feito muito sucesso na internet, sobretudo no YouTube. Um dos métodos mais buscados é aquele que utiliza água oxigenada – Peróxido de Hidrogênio (H2O2). Mas, água oxigenada clareia os dentes? Faz mal colocar na boca? Reunindo dúvidas de leitores e buscando ajudar pessoas leigas, fizemos uma busca por estudos que explicam cientificamente a ação da água oxigenada na boca das pessoas.

Nós já estamos “carecas de saber” o poder oxidante da água oxigenada. Por causa disso, o produto é amplamente utilizado como descolorante. Também não é novidade que esse composto tenha uma forte atuação como antibactericida, podendo, portanto, ser usado como antisséptico na limpeza de ferimentos infectados ou não. Em contato com feridas abertas, algumas enzimas do sangue reagem com a água oxigenada, liberando instantaneamente o átomo de oxigênio que estava “sobrando”. Aliás, é por isso que esse composto químico é corrosivo.

Olhando assim, é comum as pessoas só verem coisas boas na água oxigenada: antibactericida, fungicida, bom para limpeza, clareador e etc.. Na verdade, os métodos ensinados em vídeos e sites que ensinam bochechar água oxigenada, ou passar o líquido com cotonetes nos dentes, por exemplo, são perigosíssimos.

Leia também: Bicarbonato de sódio realmente clarεia os dεntes? Veja o que os dentistas falam sobre isso

Indice de Conteúdo

Efeitos graves nos dentes e gengivas

Um estudo publicado no periódico Insight Ortodôntico [1] , revelou que em diversos estudos, demonstrou-se que quando a água oxigenada entra em contato com a dentina, causa uma desmineralização que provoca o alargamento dos túbulos dentinários. Quando aplicados na superfície do dente, atua como um ácido aumentando a porosidade do esmalte promovendo a desunião e infiltração das restaurações de resina e causando hipersensibilidade.

Mas, segundo o estudo, os efeitos mais indesejáveis são as reações nos tecidos moles –  gengivas, língua e mucosa. Á agua oxigenada tem efeito cáustico nas mucosas, causando queimadura e necrose. Além disso, são co-carcinogênicos, potencializando efeitos que desencadeiam câncer. Se bochechada, a água oxigenada alcança até mesmo a mucosa gastrointestinal.

Em síntese, usando palavras do entendimento de todos, a água oxigenada causa desmineralização da dentina. Além disso, provoca porosidade no esmalte, levando a perda das restaurações dos dentes, principalmente de as de resina. Causa também queimaduras nos tecidos moles e ainda pode causar câncer bucal se usado constantemente.

 Mas, o dentista usa peróxido nos clareamentos?

Sim, eles utilizam. O clareamento feito nos consultórios, possuem uma base de água oxigenada. Contudo, há um protocolo de proteção que é seguido rigorosamente, sobretudo quanto a proteção da gengiva e mucosa bucal. De acordo com o Dr. Marcus Daniel, do canal Dentista Responde, no clareamento em consultório, o dentista usa uma barreira gengival. “O clareador de consultório só entra em contato com o dente, nada atinge a mucosa”, disse.


Assim, a água oxigenada realmente pode clarear os dentes, contudo, o seu uso indiscriminado pode causar danos irreversíveis. Passar o composto com cotonete nos dentes, pode causar desmineralização, perda das restaurações e porosidade do esmalte. Bochechar água oxigenada, mesmo diluída pode levar a queimaduras e aumentar as chances de câncer bucal, além das dos problemas dentais citados anteriormente.

Leia também: Descubra de uma vez por todas se carvão ativado realmente pode clarear os dentδs

DR

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.