Alimentação

O óleo vegetal (soja, girassol, canola) deve ser substituído por banha de porco na sua cozinha. Verdade ou mito?

De uma vez por todas: o óleo de cozinha deve ser substituído por banha de porco?

Atualmente tem se falado na substituição do óleo de cozinha vegetal por banha de porco no cozimento dos alimentos. Durante décadas, passamos a nos adaptar em comprar o óleo de soja, principalmente, no mercado e deixar aos poucos de usar a banha de porco. A ideia era que o óleo vegetal, por ser vegetal, seria muito mais saudável do que a gordura de porco.

Então, vamos iniciar este texto com definições: O óleo vegetal é uma gordura extraída de plantas formada por triglicerídeo. Geralmente extraído mecânica e quimicamente de sementes como soja, milho, algodão, girassol, castanhas, cártamo, amendoim, etc. Como o próprio nome já diz, a banha de porco nada mais é do que a gordura do próprio animal.

Os óleos vegetais ganharam um forte espaço na nossa dispensa, desde que, a banha de porco ganhou fama de ser maléfica à saúde coração. Assim, sua utilização na culinária foi abandonada devido afirmações de que os óleos vegetais eram muito mais seguros e saudáveis quando comparados à banha de porco. Difundiu-se também que a banha de porco deveria ser banida de vez de toda e qualquer alimentação.




Perigo na prateleira: O que você não sabe sobre óleos de cozinha

Outro ponto importante, é sobre o diferente comportamento destes dois óleos quando aquecidos. Quando estamos fritando ou cozinhando em uma alta temperatura (em torno de 180°C), as estruturas moleculares de gorduras e óleos mudam. Acontece o que chamamos de oxidação – elas reagem com o oxigênio do ar formando aldeídos e peróxidos de lipídio.

Enfim, devemos ou não substituir os óleos por banha?



Bom, por incrível que pareça a resposta é SIM, substituir o óleo por banha é a recomendação de diversos nutricionistas e cardiologistas. Aliás, segundo estudos, essa substituição pode fazer uma grande diferença nutricional e de saúde em geral.

Para começar, a banha de porco raramente passa pelo processo de oxidação. Isso acontece porque elas são ricas em ácidos graxos monoinsaturados e saturados, que são muito mais estáveis quando submetidos ao calor.

Guardar óleo usado em frituras: aqui está a razão pela qual você deve parar agora de reutilizar o óleo de cozinha

De acordo com Dr. Patrick Rocha, presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas, a banha de porco é uma aliada poderosa para diminuir os efeitos da diabetes. Ela garante, que na banha de porco estão presentes vitaminas B e C, além de minerais como fósforo e ferro. Além disso, não há sódio ou conservantes químicos em sua composição. “A banha é ideal para consumo de pessoas que sejam portadoras de doenças como hipertensão arterial, diabetes e até mesmo AVC”, diz o médico.



A banha é saudável para o coração. A gordura saturada, como a banha, possui poderosa ação antioxidante que é capaz de diminuir os níveis de colesterol ruim – o LDL oxidado – e aumentar os níveis do bom colesterol – o HDL. Seu uso diminui as placas de gorduras em vasos e artérias, além de percentual de gordura corporal. Isso é totalmente benéfico e saudável para o coração.

Além disso, estudos comprovam sua eficiência no tratamento de depressão. Ao mesmo tempo, a banha é rica em ômega 3.

Atenção: O ideal é tentar cozinhar com o mínimo de gordura. Tanto óleo vegetal como gordura animal (banha/manteiga), são energias desnecessárias e deletérias para a saúde!

drrocha

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo