Alimentação

O óleo vegetal (soja, girassol, canola) deve ser substituído por banha de porco na sua cozinha. Verdade ou mito?

De uma vez por todas: o óleo de cozinha deve ser substituído por banha de porco?

O óleo vegetal (soja, girassol, canola) deve ser substituído por banha de porco na sua cozinha. Verdade ou mito?
4.3 (86.67%) 6 votes

Atualmente tem se falado na substituição do óleo de cozinha vegetal por banha de porco no cozimento dos alimentos. Durante décadas, passamos a nos adaptar em comprar o óleo de soja, principalmente, no mercado e deixar aos poucos de usar a banha de porco. A ideia era que o óleo vegetal, por ser vegetal, seria muito mais saudável do que a gordura de porco.

Então, vamos iniciar este texto com definições: O óleo vegetal é uma gordura extraída de plantas formada por triglicerídeo. Geralmente extraído mecânica e quimicamente de sementes como soja, milho, algodão, girassol, castanhas, cártamo, amendoim, etc. Como o próprio nome já diz, a banha de porco nada mais é do que a gordura do próprio animal.

Os óleos vegetais ganharam um forte espaço na nossa dispensa, desde que, a banha de porco ganhou fama de ser maléfica à saúde coração. Assim, sua utilização na culinária foi abandonada devido afirmações de que os óleos vegetais eram muito mais seguros e saudáveis quando comparados à banha de porco. Difundiu-se também que a banha de porco deveria ser banida de vez de toda e qualquer alimentação.




Perigo na prateleira: O que você não sabe sobre óleos de cozinha

Outro ponto importante, é sobre o diferente comportamento destes dois óleos quando aquecidos. Quando estamos fritando ou cozinhando em uma alta temperatura (em torno de 180°C), as estruturas moleculares de gorduras e óleos mudam. Acontece o que chamamos de oxidação – elas reagem com o oxigênio do ar formando aldeídos e peróxidos de lipídio.

Enfim, devemos ou não substituir os óleos por banha?



Bom, por incrível que pareça a resposta é SIM, substituir o óleo por banha é a recomendação de diversos nutricionistas e cardiologistas. Aliás, segundo estudos, essa substituição pode fazer uma grande diferença nutricional e de saúde em geral.

Para começar, a banha de porco raramente passa pelo processo de oxidação. Isso acontece porque elas são ricas em ácidos graxos monoinsaturados e saturados, que são muito mais estáveis quando submetidos ao calor.

Guardar óleo usado em frituras: aqui está a razão pela qual você deve parar agora de reutilizar o óleo de cozinha

De acordo com Dr. Patrick Rocha, presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas, a banha de porco é uma aliada poderosa para diminuir os efeitos da diabetes. Ela garante, que na banha de porco estão presentes vitaminas B e C, além de minerais como fósforo e ferro. Além disso, não há sódio ou conservantes químicos em sua composição. “A banha é ideal para consumo de pessoas que sejam portadoras de doenças como hipertensão arterial, diabetes e até mesmo AVC”, diz o médico.



A banha é saudável para o coração. A gordura saturada, como a banha, possui poderosa ação antioxidante que é capaz de diminuir os níveis de colesterol ruim – o LDL oxidado – e aumentar os níveis do bom colesterol – o HDL. Seu uso diminui as placas de gorduras em vasos e artérias, além de percentual de gordura corporal. Isso é totalmente benéfico e saudável para o coração.

Além disso, estudos comprovam sua eficiência no tratamento de depressão. Ao mesmo tempo, a banha é rica em ômega 3.

Atenção: O ideal é tentar cozinhar com o mínimo de gordura. Tanto óleo vegetal como gordura animal (banha/manteiga), são energias desnecessárias e deletérias para a saúde!

drrocha

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo