Alergia a penicilina: veja quais antibióticos você pode e quais não pode tomar

Alergia a penicilina: quais antibióticos você pode e quais não pode tomar

A descoberta da penicilina em 1928, por Alexander Fleming, foi sem dúvida um grande marco na história da medicina. Infecções que matavam facilmente passaram a ser combatidas com algumas doses do medicamento. Até hoje, quase 100 anos depois da sua descoberta, juntamente com seus derivados, ainda é um dos antibióticos mais utilizado na prática médica. Só que a alergia a penicilina existe em algumas pessoas.

O que acontece é que, para algumas pessoas, os antibióticos da família da penicilina provocam uma reação inesperada do sistema imunológico. Isso desencadeia um quadro alérgico, uma espécie de reação de hipersensibilidade de origem imunológica. É como se o corpo estivesse encontrado, nos componentes da penicilina, um poderoso agente patológico e reagisse a isso de forma exagerada.

Quem é alérgico aos antibióticos na família da penicilina, ao entrar em contato com a fórmula poderá desenvolver ter os seguintes sintomas: Urticária – caracterizada por placas avermelhadas com relevo na pele, que coçam muito; Rash cutâneo – caracterizado por manchas vermelhas pelo corpo, sem relevo e sem comichão; Prurido – caracterizado por uma coceira intensa, sem necessariamente haver lesões visíveis na pele; Angioedema – inchaço de mucosas, como lábios, olhos, boca e língua. Em casos raros e muito mais graves, a alergia poderá causar um choque anafilático, um quadro de emergência médica que pode matar.

Indice de Conteúdo


Antibióticos proibidos

Quando o paciente descobre ser alérgico a uma penicilina, ele deve ser encarado como alérgico a todas as outras também. O paciente não é somente alérgico a amoxacilina ou a benzetacil, ele é alérgico às penicilinas em geral. De acordo com o clínico geral e nefrologista Dr. Pedro Pinheiro, colunista do site MD Saúde, fica então “proibido” às pessoas alérgicas a penicilina, os seguintes antibióticos:

  • Amoxicilina
  • Ampicilina
  • Azlocilina
  • Carbenicilina
  • Cloxacilina
  • Dicloxacilina
  • Mezlocilina
  • Nafcilina
  • Oxacilina
  • Penicilina G
  • Penicilina V
  • Penicilina Benzatina (Benzetacil)
  • Piperacilina

Antibióticos permitidos

Felizmente, hoje existe outros antibióticos que são vistos como alternativas à penicilina e evitarão toda essa série de riscos e problemas alérgicos. Esses medicamentos são:

  • Macrólidos: Azitromicina, Claritromicina, Eritromicina, Espiramicina, Roxitromicina, Dietilmidocamicina, Troleandomicina, etc.
  • Tetraciclinas: não recomendado para crianças menores de 16 anos: Doxycycline, Oxytetracycline, etc.
  •  Sulfamidas:trimetoprim-sulfametoxazol, etc.
  • Quinolonas: não recomendadas para crianças menores de 16 anos: ácido nalidixico, ácido pipemídico, norfloxacina, ciprofloxacina, etc.
  • Aminoglicosídeos: Gentamicina, Tobramicina, Kanamicina, Amicacina, Netilmicina, Sisomicina, etc.

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.