Mancha branca na pele: O que está causando isso? Veja um guia completo para descobrir a causa

Mancha branca na pele, o que pode ser

A mancha branca na pele pode ser causada por muitas condições diferentes. Apesar de, na maioria dos casos não se tratar de nada grave, esse sintoma merece toda sua atenção.

Acima de tudo, é preciso observar o tamanho da mancha, onde está localizada e quando apareceu. Além disso, é indispensável observar outros sintomas como coceira, pele seca ou descamação da pele.

Seja qual for a causa, manchas brancas na pele não são normais e precisam de cuidado, salvo poucas exceções.  É indispensável marcar uma consulta com um dermatologista para indicação do tratamento adequado.

Mancha branca na pele pode ser micose

O pano branco na pele ou micose de praia, é conhecida no meio científico pelo nome pitiríase versicolor. Trata-se de uma micose superficial, causada pelo fungo Malassezia furfur.

Essa doença é prevalente em zonas tropicais e subtropicais, geralmente ocorrendo em adolescentes e adultos. Além disso, é uma doença contagiosa.

Segundo um estudo publicado na revista científica Europe PMC (1), o fungo também parece estar associada à dermatite seborreica e à formação de caspa, foliculite, papilomatose confluente e reticulada e à provocação de lesões de psoríase.

Geralmente, o pano branco na pele causa coceira, e se caracterizam pela presença de mancha branca na pele ou mancha hiperpigmentadas (escuras).

mancha branca na pele micose de pele
Trata-se de uma micose superficial, causada pelo fungo Malassezia furfur.

Sintomas de micose de pele

  • Manchas brancas, rosas, bege ou amarronzadas
  • De crescimento lento, com presença de escamas
  • Mais visíveis após exposição ao sol
  • Pode coçar ou não
  • Mais comuns nas costas, no peito, pescoço e na parte superior do braço.

Tratamento para a micose

Costuma responder bem ao uso de medicamentos de aplicação local. Quando o paciente tem dificuldade em manter essa forma de tratamento, há possibilidade de fazer uso oral do medicamento.

Normalmente, os dermatologistas prescrevem as pomadas, shampoos e sabonetes antifúngicos que podem ser:

Pode ser causada pelo sol

A hipomelanose gutata idiopática, é também conhecida como sardas brancas. Se manifesta como pequenas manchas brancas na pele que recebem altas quantidades de exposição ao sol.

Acomete, sobretudo, áreas como braços e pernas. Neste caso a mancha branca é indolor na pele e costuma ser benigna. Então, não com o que se preocupar.

As manchas solares são mais comuns em pessoas com pele clara e pode aparecer em mulheres em idades mais jovens do que em homens. No entanto, geralmente afeta mulheres com mais de 40 anos.

mancha branca na pele sarda branca
A hipomelanose gutata idiopática, é também conhecida como sardas brancas.

Sintomas de sardas brancas

  • Afeta somente as partes expostas ao sol (rosto, pescoço, ombros, braços etc)
  • Faz parte do processo de envelhecimento, afetando, portanto, pessoas acima de 40 anos
  • Mais comuns, sobretudo, em mulheres
  • Manchas brancas lisas, mas que ficam escamosas sem hidratação

Tratamento para sardas brancas

Usar filtro solar e evitar a exposição excessiva ao sol é um bom primeiro passo para reduzir ainda mais os danos à pele.

Apenas algumas opções existem para tratar manchas solares depois que elas aparecem. Então, se essas manchas solares te incomodam, converse com o dermatologista sobre o uso de inibidores de calcineurina ou tratamentos a laser.

Pode ser dermatite atópica

Dermatite atópica é caracterizada pelo surgimento de pele muito seca, descamação e bastante coceira. Ainda, surgem as temidas manchas brancas nos locais afetados.

A erupção quase sempre coça, às vezes intensamente e especialmente à noite. Há situações em que a erupção pode levar a feridas abertas e secreção.

Com o tempo, as áreas do corpo mais afetadas pelo eczema podem tornar-se espessas, secas e escamosas. Mais tarde, se tornam brancas.

A dermatite atópica é comum em crianças, mas pode afetar pessoas de qualquer idade. Ao mesmo tempo, pode ser uma condição vitalícia.

Geralmente começa antes dos cinco anos e pode até começar durante a infância. Também é comum em pessoas que têm alergias, como a febre do feno.

Sintomas de dermatite atópica

  • Vermelhidão no local
  • Pequenas bolhas
  • Inchaço localizado
  • Descamação da pele
  • Coceira
  • Formação de crostas
  • Formação de manchas brancas na pele depois de cicatrizado
  • E, por fim, espessamento da pele

Tratamento para dermatite atópica

Tratamento para essa dermatite se concentra, sobretudo, no gerenciamento de sintomas. Você pode reduzir seus sintomas com hábitos que mantenham sua pele saudável e hidratada. Podemos citar, por exemplo:

  • Uso de sabonetes líquidos menos agressivos.
  • Tratar as lesões com cremes medicinais.
  • Manter sempre a pele hidratada.
  • Evitar banhos longos e quentes.
  • Usar sempre luvas durante a limpeza com produtos químicos.
  • Ao mesmo tempo, evite a poluição do ar, incluindo fumaça de cigarro.

Ao mesmo tempo, o dermatologista pode indicar cremes anticoceira ou uma medicação alergia oral, como um anti-histamínico. Contudo, se estas soluções não forem suficientes, poderá recomendar corticosteroides tópicos.

Pode ser vitiligo

O vitiligo acontece quando células chamadas melanócitos param de produzir melanina. Como sabemos, a melanina é o pigmento que dá cor à pele, cabelo e olhos. Sem pigmento, há surgimento de mancha branca na pele.

Essas manchas podem aparecer em qualquer parte do corpo. Vitiligo é geralmente simétrico, embora possa aparecer em apenas um lado do corpo.

Vitiligo geralmente se manifesta, sobretudo, a partir dos 20 anos de idade, mas pode ocorrer mais cedo ou muito mais tarde.

Sua causa é atualmente desconhecida. Mas, pode estar ligado a doenças genéticas ou autoimunes, como o hipertireoidismo.

Mancha branca na pele vitiligo
O vitiligo acontece quando células chamadas melanócitos param de produzir melanina.

Sintomas de vitiligo

  • Perda de coloração do cabelo, cílios, sobrancelhas ou barba
  • Perda da cor nos tecidos que cobrem o interior de sua boca e nariz (membranas mucosas)
  • Dano ou alteração da cor da camada interna do globo ocular (retina)
  • Manchas pálidas em vários locais como por exemplo, em torno das axilas, umbigo, órgãos genitais e reto.

Tratamentos para vitiligo

O tratamento para o vitiligo é, geralmente, cosmético e visa restaurar a cor da pele afetada. Pode levar a tentativa e erro com várias terapias. Contudo, o médico pode recomendar um ou mais dos seguintes procedimentos:

  • esteroides
  • imunossupressores
  • terapia de luz ultravioleta

Algumas pessoas com vitiligo descobrem que o uso de cosméticos de encobrimento é a opção mais eficaz para reduzir a aparência de manchas brancas.

Pode ser Hipomelanose

Conhecida também como hipomelanose macular progressiva, essa doença está relacionada a desordem na pigmentação em indivíduos com mistura racial (caucasianos e negroides). Ou seja, a maioria dos brasileiros podem tê-la.

Aliás, é uma dermatose comum na Ásia e Américas. Mas nunca se fez estudo sobre dados epidemiológicos no Brasil.

Um estudo publicado nos Anais Brasileiros de Dermatologia [1] diz que apesar de a causa ainda ser incerta, alguns especialistas sugerem a relação de da bactéria Propionibacterium acnes, na fisiopatologia do quadro.

mancha branca na pele hipomelanose
Conhecida também como hipomelanose macular progressiva, essa doença está relacionada a desordem na pigmentação em indivíduos com mistura racial

Sintomas de Hipomelanose

  • Manchas brancas na pele mal definidas
  • Manchas com localização simétrica, em áreas seborreicas
  • Atingem o tronco posterior e anterior e, mais raramente, no pescoço
  • As lesões são assintomáticas
  • Podem aumentar em tamanho e número com a idade.
  • E, por fim, não causa coceira, dor ou inflamação

Tratamento para Hipomelanose

O tratamento da hipomelanose é um desafio, pois existem poucos métodos efetivos. O dermatologista irá avaliar cada caso e explicar as alternativas disponíveis.

Podem ser utilizadas a crioterapia e a microdermabrasão, entre outras alternativas. Em todo caso, prevenir é a melhor saída.

A prevenção pode ser feita com a minimização da exposição solar, principalmente pessoas com história familiar de hipomelanose ou aquelas que comecem a notar as primeiras manchas na pele.

Guia de sintomas

Mancha branca na pele morena

Considere a possibilidade de ter hipomelanose macular progressiva ou hipomelanose do mestiço. Como já dito, essa doença está relacionada a desordem na pigmentação em indivíduos com mistura racial (caucasianos e negroides).

É uma característica da pessoa e muito comum no Brasil. Não tem sintoma algum, como por exemplo, coceira, dor, vermelhidão.

Mancha branca na pele que coça

Neste caso, considere a dermatite atópica na qual o principal sintoma é justamente a coceira. Ao mesmo tempo, pode ser a micose de pele (pitiríase vesicolor), também conhecida como micose de praia ou pano branco.

No caso da micose, manchas brancas pequenas na pele que coçam bastante e atingem principalmente as costas.

Mancha branca na pele com descamação

Pode ser dermatite atópica. Uma característica dessa doença é que após a cura das lesões, ela deixa manchas brancas na pele que podem ter a característica descamosa.

Ao mesmo tempo, considere a possibilidade de serem sardas brancas, comuns em mulheres brancas com mais de 40 anos, afetando principalmente o pescoço e os braços e mãos.

Mancha branca na pele do rosto

Neste caso pode haver várias razões.  Considere, sobretudo,  a micose de pele (pano branco, pitiríase vesicolor) que é ocasionado por fungos. Ainda assim, pode ser causada por cicatriz de acne ou exposição solar excessiva sem a devida proteção.

Conclusão

As manchas brancas na pele não são condições malignas. Ou seja, não pode ser câncer. De qualquer forma, todas merecem atenção, como a dermatite atópica e a doença do pano branco, que é uma micose.

Ao mesmo tempo, a hipomelanose é uma condição comum de pessoas mestiças, e portanto, é normal que no Brasil milhares de pessoas a tenham. Na dúvida, um dermatologista pode fazer um diagnóstico preciso.

Artigo médico-científico: Anais Brasileiros de Dermatologia [1]

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.