Sua saúde

Excesso de gases: Se você anda liberando gases fedidos, sempre, você precisa procurar um médico

Excesso de gases: eliminar gases fedidos o tempo todo pode ser doença

O excesso de gases muito fedidos o tempo todo, pode ser um sinal de que sua saúde não vai bem. Eliminar gases intestinais, conhecido popularmente como pum, é normal e acontece a todo mundo. Mas quando eles vêm acompanhados de dor e distensão abdominal e odor desagradável, é bom se observar melhor. Isso porque, gases muito fedidos, o tempo todo, pode ser doença intestinal.

Em geral, o excesso de gases intestinais costuma estar relacionado à dieta, mas ele pode ser , como já dito, um sinal de alguma doença do trato gastrointestinal. No entanto, os médicos enumeram também a falta de exercício físico, constipação intestinal, intolerância à lactose e alterações da flora bacteriana dos intestinos por uso de antibióticos também podem causar aumento da produção de gases. Sexo anal passivo é outra causa.

De qualquer forma, o excesso de gases pode ser tornar uma condição preocupante quando a grande quantidade de ar dentro dos intestinos fica insustentável. Há a possibilidade de um rompimento intestinal, o que é muito grave. A dor do lado esquerda da barriga ou do lado direito, costuma vir em pontadas dolorosas. É normal que eliminemos em média 500 a 1500 ml de gases através dos flatos. Às vezes, uma dieta mais cuidadosa pode reduzir a produção de gases para menos de 1000 ml por dia. Ou seja, não é preciso ter excesso de gases, para se sentir com excesso de gases. Um adulto libera em média 20 flatos por dia, alguns com bastante gases, outros, não.




Excesso de gases: possíveis doenças

Síndrome Do Intestino Irritável: O excesso de gases intestinais pode estar relacionado à Síndrome Do Intestino Irritável. Esse problema acontece porque normalmente as paredes dos intestinos são revestidas com músculos que se contraem e relaxam conforme o alimento ingerido vai passando do estômago em direção ao reto. Nas pessoas com a Síndrome Do Intestino Irritável, as contrações podem ser mais fortes. Além disso, podem durar mais tempo do que o normal. Isso, faz com que surja alguns sintomas característicos da doença, como gases em excesso e flatulência fétidas e diarreia.

Intolerância a lactose De acordo com um artigo publicado na revista Arquivos da Ciência e Saúde da Unipar [1],  algumas pessoas, decerto, nascem sem a capacidade de produzir lactase. Por isso, não podem digerir a lactose e consequentemente sofrem desarranjos intestinais na presença de qualquer derivado de leite. Um dos sintomas de intolerância a lactose é justamente a produção de excesso de gases e diarreia. Além disso, causa dor de barriga, barriga inchada e assaduras no ânus.

Doença celíacaO glúten é uma proteína presente no trigo, no centeio, na aveia, no malte e na cevada. Contudo, existem pessoas que são portadoras da doença celíaca que têm dificuldade em digeri-lo. Assim, quando o glúten chega ao intestino dessas pessoas, anticorpos impedem o órgão de absorver essa e outras proteínas. Conforme estudo publicado na revista Jornal de Pediatria [2], os nutrientes são eliminados pelas fezes e a pessoa fica com deficiências nutricionais graves. A doença é genética e o sintoma mais comum é diarreia crônica e excesso de gases fétidos. Pessoas com essa doença não devem ingerir produtos contendo glúten em nenhuma hipótese.

Artigos médico-científicos: Jornal de Pediatria [2],   Arq. Ciência e Saúde Unipar [1]  

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Topo