Mulher paga R$ 2,4 mil por um gato Sphynx. 15 dias depois, descobre que era um “vira-latas” depilado


Para quem não sabe, a raça Sphynx é uma das mais caras raças de gatos que existe. Também conhecido como pelado canadense, é uma raça de gatos originária do Canadá, e que é conhecida por não possuir pelos. O gene responsável pela sua nudez é a alopecia hereditária e é recessivo.

O gato sem pelos se torno uma febre, mas poucas pessoas podem pagar por eles, um exemplar custa em torno de 2.500 reais. Apesar de não possuir pelos, essa raça não é hipoalergênica, como muita gente pensa.

Mas um fato novo acontecido com a canadense Joanne Dyck, de Alberta deixa claro que as pessoas precisam de muita atenção ao procurarem Sphynx para comprar. Ela gastou R$ 2,4 mil no que acreditava ser um gatinho Sphynx, mas percebeu que havia sido enganada.

Depois de duas semanas com o animal, o pelo começou a crescer e, então, Joanne descobriu que o animal não era naturalmente careca, como um felino de raça pura, mas um vira-lata que havia sido depilado.


O veterinário que examinou o animal, confirmou que não se tratava de um Sphynx os pelos foram depilados com algum creme (do tipo veet), o que causou algumas irritações na pele.

Assim que compartilhou o golpe nas redes sociais, Joanne recebeu comentários de duas outras mulheres que haviam sido vítimas do mesmo golpe. JoAnne Dyck agora diz que aprendeu a lição e que nunca mais vai comprar animais sem conhecer seus criadores.

extra

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.