Cafezinho, churrasco e outras duas coisas que vão desaparecer se as abelhas realmente entrarem em extinção

Extinção das abelhas: o que acontece se as abelhas desaparecerem do planeta?
O sumiço das abelhas a nível mundial e a ameaça de extinção de algumas espécies tem assustado cientistas . O que acontece se o planeta ficar sem elas?

Não é novidade. De um tempo para cá, lemos e escutamos comentários sobre o sumiço das abelhas a nível mundial, incluindo a ameaça de extinção de algumas espécies. A culpa é a ação antrópica que junta pesticidas e o aquecimento global. O que acontece se o planeta ficar sem esses insetos? O que muda?

Mas se você acha que o sumiço das abelhas não nos afetará em nada, pense novamente. As abelhas contribuem grandemente para a nossa agricultura e, consequentemente, nosso agronegócio. Com isso em mente, aqui estão cinco coisas que podem não ser capazes de sobreviver a uma extinção de abelhas.

1- Oferta mundial de alimentos

É evidente que as abelhas são uma parte importante da polinização e da agricultura, mas a maioria das pessoas não sabe exatamente o quão importante elas realmente são. De acordo com artigo publicado na UN News Centre, em todo o mundo hoje, existem 100 variedades principais de culturas que compõem 90% do suprimento de alimentos humanos. Alimentos do nosso cotidiano como maçãs, bananas, abacates e milho. As abelhas são os principais agentes de polinização para 70% dessas culturas. Isso significa que cerca de 63% do nosso estoque de alimentos depende diretamente delas.

♥ O sêmen de abelhas possui propriedade antimicrobiana que pode ajudar a combater infecções!

2- Seu cafezinho de todo dia

Além de várias frutas e vegetais, as abelhas também são polinizadoras primários para o café.  Assim, sem abelhas, a oferta de café do planeta diminuirá, e a indústria perderia sua rentabilidade. Em primeiro instante, isso não parece tão terrível, até porque, a cafeína não é uma “necessidade” humana, e o fim do café não significaria fome. Mas uma quantidade surpreendente de nossa indústria mundial está na produção e nas vendas de café.  Sem abelhas, este império multinacional do café entraria em colapso, deixando centenas de milhares de pessoas sem trabalho em todo o mundo.

3- Roupas de algodão

O algodão é o tecido mais popular do mundo. Historicamente, o algodão foi uma das maiores culturas comerciais, e grande parte da história de países como EUA é um resultado direto desta planta. Hoje, estima-se que 60 por cento das roupas femininas e 75 por cento das roupas masculinas contenham algodão como material principal, com cerca de metade de todos os produtos de confecção no mercado contém algodão. Acho que você já desconfia que as abelhas são responsáveis ​​pela grande maioria da polinização do algodão do mundo.

4- Bife, churrasco: adeus indústria da carne

Para criar o gado com sucesso para o abate, você precisa de quatro coisas: forragens, grãos, oleaginosas e subprodutos. Essas coisas que não existiram em grande escala sem nossas amigas abelhas. No caso das oleaginosas, teríamos um problema maior, pois elas são exclusivamente cultivadas com abelhas, assim como a canola e os girassóis. As vacas que carecem de oleaginosas (e as proteínas que elas fornecem) sofrerão problemas de saúde, como crescimento atrofiado e taxas de concepção precárias. Sem as populações de abelhas para polinizar esses nutrientes, não só o nosso abastecimento de frutas e vegetais diminui, mas também o nosso suprimento de carne.

listverse
Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.