Quando a fantasia vira realidade: boneca ‘baby alive’, que come e faz cocô de verdade, estava cheia de “vermes”!


As bonecas baby alive são um sucesso entre as meninas, principalmente porque ela faz o que toda garota de 5-8 anos quer: ela come e depois faz cocô de verdade. O idealizador diz na descrição: “Crie saborosas frutinhas e depois use a colher especial! Depois, não esqueça de trocar a fraldinha”. No entanto, essas bonecas vêm com uma “comidinha de brinquedo”, para evitar que o alimento apodreça dentro da boneca.

Só que, um caso curioso aconteceu com uma dessas bonecas e vale de alerta para as mães que compraram a baby alive para suas filhas. Criança é criança sempre! E a boneca é tão interessante que muitas meninas estão dando comida de verdade a mesma que elas comem, e evidentemente acontece o que o fabricante queria evitar: decomposição dos alimentos no interior da boneca.

Escondido da mãe, uma criança de 5 anos deu leite de verdade para sua baby alive, a boneca funcionou bem e a menina seguiu com a alimentação de brinquedo. Um dia, brincando na casa de uma amiga, quando foi trocar a fraldinha da boneca havia vermes no meio do cocô. A boneca foi aberta e estava com o compartimento interno infestado de larvas de moscas, as mesmo que dão no lixo descoberto.


O alerta!

Não estamos condenando a boneca baby alive, que é um projeto interessante. No entanto, é importante que a criança seja orientada a nunca dar comida de verdade para a boneca e mesmo assim, é crucial que a boneca seja vasculhada de vez enquanto e limpa sempre que preciso.

A não ser por questões de higiene, as larvas de mosca não oferecem risco à saúde da criança. No entanto, é bom mantê-las bem longe desse tipo de problema. O maior risco destas larvas é quando a mosca a coloca em alguma mucosa ou ferida do nosso corpo e que provoque miíase. Mas na boneca, não causaria problemas, a  ser não a sujeira!

Fonte e Imagens: mae.tips

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.