Alimentação

Comer batata mais que 4 vezes por semana aumenta consideravelmente o risco de hipertensão, diz estudo

Comer batata mais que 4 vezes por semana aumenta consideravelmente o risco de hipertensão, diz estudo
Esse texto foi útil para você?

Anteriormente associada a uma redução da pressão sanguínea nas pessoas com excesso de peso, a batata inglesa agora se tornou uma vilã. O tubérculo pode ser estar relacionado com um aumento do risco de pressão arterial elevada.

Foi isso que o estudo de pesquisadores norte-americanos do Brigham and Women’s Hospital, indicou. Para realizar esta pesquisa, foram analisados um total de 187.453 pessoas ao longo dos últimos 25 anos e os resultados mostraram que consumo de batata aumentava em 17% o risco de hipertensão nas pessoas que comiam batata de quatro a seis vezes por semana, quando comparadas com as que comiam apenas uma vez por mês.




A quantidade de sal e/ou de gordura em nada interferiu com os resultados. Assim, os pesquisadores acreditam que mesmo a batata inglesa em si que mais contribuiu para a hipertensão destas pessoas. Segundo os responsáveis pelo estudo, a batata pode prejudicar em todas as versões: cozidas, fritas, empanadas, assadas ou em forma de purê.

batata-na-dieta-1-662



Publicado na British Medical Journal, o estudo levou em conta as avaliações alimentares feitas a cada dois anos aos participantes e ainda o estilo de vida que tinham, tendo contado para a porcentagem o hábito de fumar, a prática de exercício físico e ainda o índice de massa corporal (IMC).

Site:aeiou
Artigo: British Medical Journal
Imagens: Reprodução/maisequilibrio/news.mail

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo