Bebê de 1 ano mata cobra com mordida na cabeça e escapa ilesa!


Coisa de filme? Talvez. Aconteceu em Mostardas, no Rio Grande do Sul. Um bebê de 1 ano e 5 meses matou uma cobra com uma mordida fatal e ainda saiu ilesa do encontro com o réptil. O menino foi atendido no hospital e passa muito bem, obrigado!

De acordo com os médicos, os pais chegaram apavorados ao hospital trazendo a criança com o sangue da cobra na boca. Pelo que disseram, a criança estava brincando no pátio quando encontrou a cobra e levou o filhote de serpente na boca e o mordeu a cabeça. O bicho morreu na hora e se quer teve chance de defesa. “A criança estava muito assustada, acho que foi instinto de defesa ou ele pensou que se tratava de um brinquedo”, disse o médico.


O médico entrou em contato com o Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul e duas horas depois recebeu as orientações sobre os exames que deveriam ser feitos para descartar a possibilidade de intoxicação. “Ele não tinha sinal de picada na face, nem na língua, na boca ou nas mãos. Acompanhei bem de perto essa inspeção. Por sorte nada aconteceu e os exames confirmaram que ele não tinha sofrido nada”, comemorou o médico.

medicomenino_1

Fonte: g1 Imagens: miseria/g1/estadão

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.