Curiosidades

A história do cachorro carregando um feto na boca é verdade? [vídeo]

Algumas pessoas enviaram as imagens de um bebê recém-nascido sendo carregado por um cão. A imagem vem acompanhada de um pequeno texto que diz: “A mãe jogou o bebê após o nascimento e o cachorro imediatamente o pegou e o levou até a casa mais próxima. Levaram ao hospital e está passando bem. Quando o ser humano se afasta por completo de Deus e faz isto. O Senhor usa quem ele quer e quando quer. Até os animais para proteger os Inocentes. Glória a Deus eterno. ” A ideia de associar o ocorrido a um milagre parece ter ajudado muito a disseminar o boato e em poucos dias milhares de pessoas nas redes sociais passaram compartilhar as imagens e o texto. No entanto, muitas pessoas preferem acreditar nisso do que questionar se isso é verdade mesmo e, se for, onde e quando teria ocorrido.

Especialistas do site e-farsas examinaram a imagem e constataram que não se trata de uma montagem. Isso quer dizer que de fato a foto existe, e há sem dúvida um cão segurando com a boca um feto, que pode inclusive ser de brinquedo.




No entanto, há um vídeo sobre o acontecimento e ele comprova que isso realmente aconteceu. O vídeo pode ser visto abaixo e mostra uma reportagem de janeiro de 2012 da TV9 News, mostrando a história de um cachorro que encontrou o corpo um recém-nascido já sem vida. De acordo com a reportagem, o incidente teria ocorrido no distrito indiano de Davanagere. O acontecimento é real, mas a história é falsa!

https://www.youtube.com/watch?v=gFMHwQe4QZw



Fonte: e-farsas  Imagens: srbin

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Diário de Biologia é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de assuntos relacionados a Biologia, Saúde e Pesquisa. O material fornecido na categoria saúde, nutrição e bem-estar, não deve ser usado como conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos.
Topo