Atenção rapazes: esperma marrom ou avermelhado pode parecer assustador, mas não é nada grave!

Esperma escuro, marrom ou avermelhado, o que pode ser?

Apesar de parecer assustador, muitos homens já tiveram a experiência de ejacular um esperma de cor diferente do leitoso habitual. Nestes casos a coloração pode sair escura, um marrom ou até avermelhado. A maioria fica logo assustado pensando em uma doença grave como um câncer de próstata, ou algo parecido. As visitas ao urologistas são principalmente quando os esperma escuro acontece. Mas, o que pode ser?

Hoje, com o uso cada vez maior de preservativos, a maioria dos homens costumam observar o aspecto do seu esperma e geralmente, quando há alteração na cor, eles logo ficam alarmados. Mas o fato é que na maioria das vezes, o problema não tem gravidade e é fácil de ser tratado.

O nome disso é hemospermia ou hematospermia. É uma alteração na cor do líquido seminal pela presença de sangue – quando marrom, o sangue é antigo; quando avermelhado o sangue é recente. A presença de sangue no sêmen pode ser causada por uma infecção na região responsável pela produção do esperma, nas vesículas seminais.

Em alguns casos, o problema ainda pode ocorrer como resultado de condições nos testículos, na próstata, na uretra ou no epidídimo ou até mesmo por algum tipo de doença sexualmente transmissível. Mas, como já dito, na maioria das vezes a hemospermia não tem uma explicação objetiva e nem significado clínico importante. A maioria dos homens não tem qualquer sintoma e sua o única queixa a alteração na cor do líquido seminal.

Os urologistas dizem que na grande parte dos homens que buscam diagnóstico para este problema não apresenta qualquer problema grave. Já que, a cor diferente no esperma pode ser provocada por sexo em excesso ou mesmo por um longo período de abstinência sexual. Mas, os especialistas alertam que é importante procurar um urologista e realizar uma investigação uma vez que, a hemospermia também pode representar também, algo grave.


O tratamento pode ser conservador com interrupção da atividade sexual por um breve período, evitar traumatismos sobre a próstata (períneo) como andar de bicicleta, moto ou fazer hipismo. No caso de prostatite bacteriana, o uso de antibióticos será recomendado pelo médico e obviamente, os casos de hipertensão também deverão ser tratados.

No mais… Não é nada sério, meninos. Voltem às suas atividades normais!

Fonte: abcdasaude/agora

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.