Inacreditável: Noma, a doença dos desnutridos, ainda existe nos países africanos


É uma doença terrível e inaceitável nos tempos atuais, mas ela ainda existe em alguns  países africanos. Nomaestomatite gangrenosacancrum oris ou cancro oral, é um tipo infecção causada por bactérias capazes de destruir os tecidos da face e da boca. O problema acomete mais frequentemente pacientes debilitados e gravemente desnutridos, no geral, as crianças são as principais vítimas.

As causas da doença reúne a desnutrição aliada a falta de higiene bucal. As pessoas que desenvolvem Noma tem carência acentuada de vitaminas A e do complexo B. A vitamina A é essencial no processo de crescimento e o desenvolvimento de crianças, bem como para as mulheres grávidas tendo papel importante no crescimento do feto. A vitamina B auxilia no aproveitamento energético da alimentação, na formação das células vermelhas do sangue e na boa estrutura da membrana mucosa da superfície da língua, da boca, dos olhos e do intestino.

A doença surge de forma dolorosa. Primeiro aparecem inflamações nas gengivas e bochechas que começam a formar úlceras. As úlceras tem mau cheiro devido ao apodrecimento da pele e o mal hálito causado pela doença. Feridas dolorosas atingem a gengiva e evolui rapidamente para a morte dos tecidos de forma progressiva se estendendo depois para a  pele, músculos e inclusive dos ossos.


É uma doença terrível e inaceitável nos tempos atuais, mas ela ainda existe em alguns países africanos. Noma, estomatite gangrenosa, cancrum oris ou cancro oral, é um tipo infecção causada por bactérias capazes de destruir os tecidos da face e da boca. Foto: Reprodução/movimentojovemcar

O tratamento utiliza fortes doses de antibióticos, ingestão de água potável, inclusão de alimentos ricos em vitaminas A e complexo B e higiene oral diária. A deformação que causa é permanente e pode ser necessário realizar cirurgia plástica reconstrutiva para reparar os danos.

cga11501b_ghislain_pk05_mid
As causas da doença reúne a desnutrição aliada a falta de higiene bucal. As pessoas que desenvolvem Noma tem carência acentuada de vitaminas A e do complexo B. Foto: Reprodução/porjati

Fonte: minhavida e vidadedentista

 


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.