Peixe morto e sem vísceras continua nadando. Como assim? [vídeo]


Quem já assistiu a esse vídeo, provavelmente está neste momento acreditando que zumbis realmente existem. O vídeo parece no mínimo!  Os peixes estão mortos, já tiveram suas vísceras e órgãos arrancados (inclusive o coração), mas quando são colocados na água, saem nadando como se nada tivesse acontecido.

 Não há mistério neste vídeo. Na verdade, os peixes não estão vivos e de zumbi não tem nada, lógico! Já teve morte cerebral principalmente pela falta de oxigenação no cérebro, que era garantida pelo bombeamento do sangue proporcionado pelo coração, que foi arrancado. O que acontece é que ao colocar no tanque com água salgada, ativa o reflexo nervoso medular enviando impulsos nervosos para os músculos. Os músculos estão acostumados por uma vida inteira a atenderem aos reflexos nervosos e fazerem o movimento que parecem natação uma vez que a morfologia do peixe favorece. Mas para um peixe “nadar” depois de morto é preciso que ele tenha acabado de ser morto e limpo, esse reflexo dura pouco mais de um minuto.


 Este reflexo funciona da mesma forma nas perninhas de rãs mortas e limpas que se mexem quando jogamos sal. Isso fenômeno você pode ver em outro vídeo AQUI.

http://youtu.be/bLNOIJASkvU

@-para-formatar-imagens-de-vídeo
O que acontece é que ao colocar no tanque com água salgada, ativa o reflexo nervoso medular enviando impulsos nervosos para os músculos. Os músculos estão acostumados por uma vida inteira a atenderem aos reflexos nervosos e fazerem o movimento que parecem natação uma vez que a morfologia do peixe favorece.


Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.