Curiosidade: Veja como os laboratórios faziam os exames de tipo sanguíneo e fator Rh


Este texto e as fotos são reproduções do post do Blog do Colégio Cinecista Dr. José Ferreira

 Os principais grupos sanguíneos dos seres humanos podem ser classificados de acordo com os sistemas ABO e Rh. No sistema ABO, existem 4 grupos sanguíneos determinados geneticamente (A, B, AB e O), dependendo da presença ou ausência de determinados aglutinogênios (antígenos) nas hemácias. A presença de aglutinogênio A, presença de aglutinogênio B, presença de aglutinogênio A e B e ausência de aglutinogênios, respectivamente, é o que caracteriza cada um deles.

O fator Rh (ou fator D) foi descoberto em 1940, quando os pesquisadores Landsteiner e Wiener conduziram experimentos em macacos do gênero Rhesus. 85% das pessoas possuem nas hemácias um antígeno chamado fator Rh. Estas pessoas são Rh positivas (Rh+). 15% das pessoas não possuem nas hemácias o fator Rh e são Rh negativas (Rh-).

tipo-sanguineo-a-positivo
Tipo sanguíneo: A positivo

Tipo sanguíneo: A positivo (Observe que houve aglutinação com soro anti-A, mas não houve aglutinação com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo A. Também houve aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a presença do fator Rh nas hemácias dessa pessoa).

tipo-sanguineo-a-negativo
Tipo sanguíneo: A negativo

 Tipo sanguíneo: A negativo (Observe que houve aglutinação com soro anti-A, mas não houve aglutinação com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo A. Também não ocorreu aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a ausência do fator Rh nas hemácias dessa pessoa).

tipo-sanguineo-b-positivo-(1)
Tipo sanguíneo: B positivo

 Tipo sanguíneo: B positivo (Observe que não houve aglutinação com soro anti-A, mas houve aglutinação com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo B. Também ocorreu aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a presença do fator Rh nas hemácias dessa pessoa).

tipo-sanguineo-o-positivo
Tipo sanguíneo: O positivo

Tipo sanguíneo: O positivo (Observe que não houve aglutinação com soro anti-A nem com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo O. No entanto, ocorreu aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a presença do fator Rh nas hemácias dessa pessoa).

tipo-sanguineo-o-negativo
Tipo sanguíneo: O negativo

Tipo sanguíneo: O negativo (Observe que não houve aglutinação com soro anti-A nem com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo O. Também não ocorreu aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a ausência do fator Rh nas hemácias dessa pessoa. A ausência de aglutinogênios dos sistemas ABO e Rh faz da pessoa O negativo a doadora universal).

tipo-sanguineo-ab-positivo
Tipo sanguíneo: AB positivo

Tipo sanguíneo: AB positivo (Observe que houve aglutinação com soro anti-A e com soro anti-B, o que nos indica que a pessoa pertence ao grupo AB. Também ocorreu aglutinação com o soro anti-D, o que nos indica a presença do fator Rh nas hemácias dessa pessoa. A ausência de aglutininas dos sistemas ABO e Rh faz da pessoa AB positivo a receptora universal).

Fonte:  Blog do Colégio Cinecista Dr. José Ferreira

Atenção: O material neste site é fornecido apenas para fins educacionais, e não deve ser usado para conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. 


Bióloga - CRBio/RJ 96514/02-D. Fundadora e administradora do Diário de Biologia. Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas. Doutorado (2013) e Mestrado (2009) em Zoologia pelo Museu Nacional/UFRJ, especialista em insetos, autora do livro "O Mundo Secreto dos Insetos" - Cortez Editora. Experiência com palestras nacionais e internacionais. É autora ou coautora de artigos científicos publicados em revistas científicas, livros e capítulos de livro, e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Colaboradora em revistas de divulgação científica para crianças (Ciência Hoje Para Crianças e Revista Recreio). Interessada em cultivo de plantas carnívoras. Atualmente mora na França, mas seu coração é brasileiro. Instagram: @karlla_diariodebiologia.